Sociedade

CRIME HOMOFÓBICO

Em pleno Natal, trabalhador defende travesti e é espancado até a morte no metrô de São Paulo

Conhecido como Índio, Luiz Carlos Ruas, foi espancado até a morte por defender uma travesti moradora de rua. Luiz trabalhava como vendedor ambulante nos arredores da estação Pedro II há mais de 20 anos.

segunda-feira 26 de dezembro de 2016| Edição do dia

Atualizado às 21h05

Essa trágica notícia foi destaque no SPTV dessa segunda-feira, 26, que entrevistou a esposa de Luiz, além de uma testemunha que viu o início das agressões que levaram o trabalhador à morte.

As agressões contra o vendedor ambulante, segunda a testemunha, foram motivadas porque Luiz tentou defender uma travesti em situação de rua. Os homens que empunhavam soco inglês estavam urinando nas plantas que ficam na calçada quando a travesti, cujo nome não foi divulgado, os questionou de tal ação e alertou que na estação haviam banheiros.

Os homens não gostaram do questionamento e, percebendo que a moradora de rua se tratava de uma travesti, começaram a agredi-la e persegui-la até que o vendedor ambulante viu as agressões e a perseguição e tentou acalmar a situação, mas acabou sendo espancado.

Luiz Carlos Ruas foi socorrido pelos seguranças do metrô, mas não resistiu e morreu no Hospital Municipal Vergueiro. O caso foi encaminhado para a 5ª DP. A Polícia Civil está investigando o caso, solicitou as imagens das câmeras de segurança ao metrô e já identificou os suspeitos, que encontram-se foragidos.

Sobre esse caso, Felipe Guarnieri, operador de trem da L1 Azul do Metrô declarou: "Nesse domingo de natal, o trabalhador ambulante Luis Carlos Ruas foi brutalmente assassinado, após tentar defender uma travesti de integrantes de grupo de extrema direita, na Estação Dom Pedro do Metro de SP. Mais um assassinato fruto do ódio da direita, que tem no congresso porta vozes como Bolsonaro e Malafaia, que disseminam cotidianamente a intolerância aos LGBTs. Basta de ódio e intolerância! Chega de assassinatos e a violência contra as travestis! Toda solidariedade a esposa e familiares de Luis Carlos Ruas".

Está sendo convocada uma manifestação em repúdio ao ocorrido, nesta terça às 13:00 na Estação Dom Pedro II. Veja o evento aqui.




Tópicos relacionados

Homofobia e Transfobia   /    Sociedade   /    Metrô   /    São Paulo (capital)   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar