Sociedade

HIGIENISTA

Dória destrói maior mural de grafite da América Latina

O atual prefeito de São Paulo, João Dória e seu projeto higienista “Cidade Linda” apagaram o maior mural de arte urbana da América Latina.

segunda-feira 23 de janeiro| Edição do dia

O mural ficava localizado na Avenida 23 de maio e foi inaugurado no início de 2015, com 15 mil metros e diversos grafites de mais de 200 artistas, entra eles: Os Gêmeos, Nina Pandolfo, Nunca, Finok e Zefix.

Em guerra direta aos pichadores e grafiteiros Doria pinta a cidade de cinza. De toda a extensão do mural anuncia que manterá apenas 8 painéis entre eles o do artista Eduardo Kobra. "Os demais já estão envelhecidos, ou estão infelizmente mutilados por pichadores, esses serão pintados" – diz.

Para saber mais: "Cruzada” de Dória contra as pichações e por uma cidade cinza, inclui multa

Veja também: Doria quer calar a juventude e a arte urbana!

O prefeito tucano, sem provas mas com convicção de provocar todo o mundo artístico com esta medida autoritária, se refugiou em sua mansão de R$51 milhões sob a proteção da Guarda Civil Municipal (veja aqui: Com medo de pixo, Dória coloca guarda civil na sua mansão)

Diana Assunção, ex-candidata a vereadora pelo PSOL em SP, declarou: “O prefeito menospreza a arte de rua e considera artistas criminosos. Nesta sexta-feira 28 pichadores e grafiteiros foram presos e indiciados por vandalismo. Doria quer ’embelezar’ a cidade com medidas higienistas como apagar os grafites da cidade, a remoção de diversos moradores de rua de seus espaços e a instalação de uma tela para escondê-los da sociedade."

Não deixe de assistir ao vídeo de Diana Assunção ao vivo da destruição do maior mural de arte a céu aberto da América Latina:

Confira agora algumas fotos do que o prefeito considera vandalismo:




Tópicos relacionados

João Doria   /    Sociedade   /    São Paulo (capital)   /    Cultura

Comentários

Comentar