CORRUPÇÃO

Do PSL ao PT, deputados votam projeto que legaliza caixa 2 e impunidade de crimes eleitorais

O projeto de lei apoiado por 15 partidos abrirá brechas ainda maiores para caixa dois e uso de verba pública para fins absurdos, como pagamentos de vôos não somente aos parlamentares mas à terceiros, diminuindo a transparência do uso do dinheiro público e garantindo impunidade daqueles que cometem crimes de corrupção.

terça-feira 17 de setembro| Edição do dia

Projeto de lei que flexibiliza e regulamenta a utilização de verbas públicas para fins absurdos, como pagamento de vôos para parlamentares e terceiros, e que praticamente impede a investigação e punição daqueles que cometem falsidade ideológica ou que apresentam irregularidades na prestação de contas, teve votação relâmpago na Câmara dos Deputados e foi amplamente apoiado por 15 partidos.

Este projeto, com uma série de emenda parlamentares, está ligado ao fundo eleitoral, e pode abrir brechas até mesmo para crimes de caixa dois, permitindo com que irregularidades em prestação de conta utilização de verba publica pra campanha política sejam feitas com ainda mais facilidade por políticos corruptos.

Veja também: Corrupção: Carlos Bolsonaro é investigado por empregar funcionários "fantasmas"

O projeto escandaloso foi apoiado por 15 partidos, entre eles o PSL, de Jair Bolsonaro, que fez uma campanha pautada em uma brutal demagogia pelo combate à corrupção. Se apoiando na Lava Jato, uma das principais ferramentas do judiciário que interveio deliberadamente no cenário político brasileiro, inclusive prendendo arbitrariamente o ex-presidente Lula e sequestrando milhares de votos, Bolsonaro fez e ainda faz uma forte "campanha" contra a corrupção.


Rodrigo Maia, do DEM, partido que votou a favor deste PL, chorou de emoção no dia em que aprovou a reforma da previdência que fará os brasileiros trabalharem até morrer

Na prática, seu partido e seus aliados, que dizem se opor à "velha política", demonstram que fazem parte e apoiam o jogo sujo dos parlamentares e dos empresários, que utilizam-se do Estado como um verdadeiro balcão de negócios para seus privilégios e interesses dos patrões.

Veja também: STF tira crimes eleitorais da Lava Jato, reabrindo fissuras no autoritarismo judiciário

Outro partido que mesmo tendo visto seu líder histórico ser preso arbitrariamente pela Lava Jato, e que diversas vezes declarou apoio à esta operação política e parcial, apoio esta PL absurda foi o PT. Com grande parte de sua bancada favorável à esta medida que praticamente legaliza a corrupção desenfreada e o uso de verbas públicas para manter seus privilégios.

A análise do mapa de votações mostra que o PT, atualmente a maior bancada da Câmara, deu a maior parte dos votos favoráveis à medida: 46 votos. Apenas Vander Loubet (MS) votou contra.

Além do PT e do PSL que votaram a favor desta medida estavam também o PP, MDB, PTB, PL (ex-PR), PSD, PSB, PSDB, Republicanos (ex-PRB), DEM, Solidariedade, PROS, PC do B e PV.

O DEM, partido de Alcolumbre e Rodrigo Maia, historicamente golpistas, levam a cabo liderando a Câmara dos Deputados e o Senado diversos ataques, como a reforma da previdência que fez até mesmo o Maia chorar de emoção, para acabar com a vida dos trabalhadores e da juventude, enquanto mantém seus altos salários e privilégios extorquindo a verba pública.

Projetos como este denunciam a verdadeira face da corrupção não como algo "moral", como inclusive Bolsonaro e sua trupe tentam afirmar, e sim como algo inerente do sistema capitalista e do Estado como um balcão de negócios da burguesia.

É ilógico e irreal pensar no verdadeiro combate à corrupção por dentro do capitalismo. Também não se pode confiar nem por um segundo no judiciário golpista, que atuou e atua como sustentação deste regime. Os casos de corrupção devem ser julgados por juri popular, e todos as provas cabais de corrupção por parte da Lava Jato e de juízes vazadas em doses homeopáticas pelo The Intercept e outras mídias burguesas, devem ser colocados integralmente para o conjunto da população.




Tópicos relacionados

DEM   /    Governo Bolsonaro   /    PSL   /    Operação Lava-Jato   /    Jair Bolsonaro   /    PT   /    Corrupção

Comentários

Comentar