Sociedade

POLÍCIA DE SP

Alckmin nomeia um dos responsáveis pelo massacre do Carandiru para comandar PM de SP

sexta-feira 24 de fevereiro| Edição do dia

Imagen: Vivian Goltl/SSP-SP http://www.jornaldanova.com.br

Nesta sexta feira (24/02) o governador Geraldo Alckmin junto ao secretário de Segurança Pública, Mágino Alves Barbosa Filho anunciaram o nome do novo comandante da Polícia Militar de São Paulo, o coronel Nivaldo Cesar Restivo. A mudança estava prevista para acontecer apenas em maio.

O novo comandante, é um dos policias envolvidos no massacre do Carandiru, ocorrido em 02 de outubro de 1992, no qual 111 detentos foram assassinados a sangue frio. Nivaldo Cesar Restivo, na época era primeiro-tenente do 2º Batalhão de Choque, foi acusado de não ter impedido que os policiais que estavam sob seu comando cometessem nenhuma violência contra os detentos que ainda estavam vivos, tendo sido denunciado à Justiça por participação no espancamento de 87 presos. O processo prescreveu sem que Restivo nunca tivesse sido levado à julgamento.

De acordo com o Ministério Público de São Paulo, a operação liderada por Restivo utilizou cassetetes, canos de ferro, facas, estiletes, baionetas e cachorros para atacarem os detentos. Para o Ministérios Público a ausência das identificações nos uniformes e das insígnias indicavam que havia uma prévia intenção de cometer aqueles atos.

Não é a primeira vez que a relação de Restivo com o massacre do Carandiru é notícia, em 2012 ao assumir as Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) foi noticiado seu envolvimento com o massacre. E também não é a primeira vez que um policial envolvido no massacre do Carandiru é nomeado por um tucano para um alto cargo, como denunciamos, José Serra, no ano passado, quando ministro das Relações Exteriores, anunciou como seu assessor especial em Brasília, o ex-policial militar Hideo Augusto Dendini.

Os envolvidos no massacre do Carandiru seguem impunes, no ano passado o Tribunal de SP, anulou as condenações de 74 policias considerados culpados.

A indicação de Nivaldo Cesar Restivo, conhecido por ter uma linha dura não surpreende, e ao mesmo tempo é mais uma demonstração de como esse governo e Estado não são neutros e tampouco justos com aqueles que não fazem parte do jogo de interesses da classe dominante. A PM paulista já conhecida por ser uma das mais assassinas do mundo, terá como comandante “um estrategista com grande experiência e trabalho na área operacional da PM”, nas palavras do governador Geraldo Alckmin. O massacre do Carandiru, que segue como triste marca de sangue na história dos negros e pobres e impunidade para os poderosos, é uma demonstração da estratégia e experiência do coronel Nivaldo Cesar Restivo.




Tópicos relacionados

Corrupção Policial   /    Sociedade   /    Violência Policial

Comentários

Comentar