www.esquerdadiario.com.br / Veja online / Newsletter
Esquerda Diário
Esquerda Diário

Miércoles 23 de Octubre de 2019
02:00 hs.

Twitter Faceboock
ELEIÇÃO DCE UFMG
7 motivos para votar na Chapa 3 nas eleições do DCE da UFMG
Nosso futuro vale mais que o lucro deles
Chapa 3 para as eleições do DCE da UFMG

Para o DCE UFMG conheça as ideias da Chapa 3, "Nosso futuro vale mais que o lucro deles", formada pela Faísca, pelo grupo de mulheres Pão e Rosas e por estudantes independentes. A votação acontece na UFMG nos dias 8 e 9 de outubro (terça e quarta-feira), participe!

Ver online

1. Precisamos aprofundar nossa luta contra os ataques de Bolsonaro, da extrema direita e as consequências do golpe. Lutamos contra cada ataque econômico contra a população como a Reforma da Previdência, e contra cada ameaça a direitos democráticos que a extrema direita racista e misógina busca fazer. Lutamos por justiça a todas as Ágathas fruto de uma política racista de segurança pública aprofundada pelo atual governo e por justiça a Marielle. O que só pode se dar pela mais ampla mobilização nas ruas. Defendemos a imediata liberdade do Lula contra todo o autoritarismo do judiciário. E fazemos essa batalha sem apoiar o projeto político do PT, que governou para grandes capitalistas da Vale como Fernando Pimentel em MG e que seus governadores foram favoráveis à aprovação da Reforma da Previdência.

2. Na luta contra Bolsonaro, os golpistas e seus ataques, os estudantes vem sendo linha de frente da resistência. Nos dias 15 e 30 de maio, respondemos ao chamado de atos que a UNE e a atual gestão do nosso DCE fizeram. Foram as maiores mobilizações do movimento estudantil desde a ditadura e com a UFMG protagonizando uma das maiores assembleias estudantis do país. Nas ruas, expressamos força para barrar todos os ataques de Bolsonaro, mas precisamos ir além dos atos de rua em dias isolados. Precisamos de um plano de lutas coordenado de todas as federais, debatido democraticamente por cada estudante que está se mobilizando, dando a todos o poder de decisão sobre os rumos da luta. Dessa forma podemos coordenar o movimento estudantil nacionalmente, os trabalhadores e movimentos sociais para derrotar o FUTURE-SE, a Reforma da Previdência e os ataques de Bolsonaro e Weintraub.

3. Nem a direção majoritária da UNE (Chapa 2 aqui na UFMG: PT, PCdoB e Levante Popular), nem a oposição (Chapa 1, atual gestão do nosso DCE: UP, PSOL e PCB, que estão em muitas entidades em todo o país), fizeram propostas que servissem à massificação e organização de nossa luta para além dos atos, como fóruns ou encontros nacionais dos estudantes em luta. A chapa 3 foi a única que propôs a construção de fóruns do movimento estudantil nacional com representantes eleitos em cada universidade. Também propusemos espaços onde nós da oposição da UNE pudéssemos debater uma estratégia para vencer, mas tanto os setores ligados à chapa 1, quanto da chapa 2, não tomaram iniciativas nesse sentido. Nossa proposta mais recente foi uma plenária aberta unificada para debater as eleições do DCE, que teve mais de 100 assinaturas de estudantes da UFMG, mas que foi negada por todos os setores.

4. Decidimos lançar uma chapa para as eleições do DCE para lutar por nossas propostas, e seguimos insistindo nas propostas unificadas de coordenação e debate pela base, pois ainda é tempo de avançar na nossa estratégia e vencer os ataques da direita. É nesse sentido que propomos a realização urgente de um grande encontro de estudantes, professores e servidores da UFMG para fazermos um balanço das paralisações dos dias 2 e 3 e prepararmos nossos próximos passos democraticamente, dando voz e poder de decisão a todos que estão indo aos atos de rua.

5. O resultado de ter mobilizações separadas por universidade federal de cada estado e não coordenadas nacionalmente e debatidas democraticamente pela base é que os estudantes da UFSC decidiram por uma greve, que já completa quase um mês, e grande parte dos estudantes da UFMG sequer sabem disso. O DCE da UFSC tem uma gestão onde se somam setores que estão tanto na chapa 1 quanto na 2 daqui da UFMG, mas nenhum deles impulsionou sequer uma campanha de solidariedade nacionalmente à UFSC. A Chapa 3 é a única que vem batalhando por uma solidariedade ativa com os estudantes em greve da UFSC, pois a luta deles é a mesma que a nossa. Nenhuma luta isolada! Pela coordenação real das lutas nacionalmente pela base!

6. A Chapa 3 considera que a defesa das demandas do povo negro dentro e fora da universidade deveriam ter ainda mais peso no movimento estudantil do que tem hoje e que precisamos radicalizar nosso programa e ações contra o racismo, que novamente mostrou sua cara na UFMG com a agressão a um jovem negro dentro da UFMG. Precisamos de um DCE que coordene ações nacionais POR TODAS AS AGATHAS, contra a violência policial que está assassinando a nossa juventude. Nossa juventude quer viver e precisa de um movimento estudantil que lute pra radicalizar o acesso aos estudantes pobres e negros nas universidades. São os negros e negras os que mais sofrem com o ensino transformado em mercadoria, bem como os que depois do esforço de entrar na UFMG não conseguem permanecer pela falta de assistência estudantil. A chapa 3 é a única que defende a ampliação de cotas para negros para alcançar o número proporcional ao que representam da população do país, no marco da luta pelo acesso irrestrito da juventude às universidades públicas, acabando com o ensino privado e com o filtro racista do vestibular, que deixa a maioria da juventude negra fora da universidade pública. Consideramos que a luta por permanência estudantil plena, para todos os estudantes que necessitem, deve ser ainda mais hierárquica nas nossas batalhas cotidianas.

7. A Chapa 3 defende um movimento estudantil que esteja na linha de frente das lutas em defesa do meio ambiente. O capitalismo o destrói. Precisamos destruir o capitalismo. Estivemos na linha de frente da denúncia da Vale que está destruindo nosso estado e assassinou quase 300 pessoas apenas em Brumadinho. Desde aquele momento viemos dizendo que “Nosso futuro VALE mais que o lucro deles” e propomos a ruptura dos projetos que a UFMG desenvolve com a Vale para que a UFMG esteja a serviço das necessidades da população atingida pelas tragédias. Queremos um movimento estudantil que esteja conectado com essa luta da juventude em todo o mundo, e consideramos que nosso DCE esteve aquém do que poderia nessa batalha. Precisamos aprofundar nossa mobilização em defesa da Amazônia e para acabar com a destruição das mineradoras em MG. Defendemos a estatização da Vale sob gestão dos trabalhadores e que a atividade mineratória seja controlada pela população e representantes eleitos nas universidades, movimentos sociais e comunidades atingidas pelas barragens. De forma a abandonar o modelo predatório e adotar outros modelos compatíveis com a vida humana e outras espécies. O que só pode se dar com uma luta para fazerem os capitalistas pagarem pela crise e pelas tragédias que eles criam.

Para ir além destes 7 motivos, conheça nossa carta programa completa: UFMG: Conheça a chapa 3 - Nosso futuro vale mais que o lucro deles – para as eleições do DCE

Vote Chapa 3, ajude-nos a espalhar essas ideias e entre em contato conosco para lutarmos juntos por elas:
Instagram: @chapa3UFMG
Facebook: Chapa 3 - DCE UFMG
Contato: 31-9.7557.3384 (Maré)

 
Izquierda Diario
Redes sociais
/ esquerdadiario
@EsquerdaDiario
contato@esquerdadiario.com.br
www.esquerdadiario.com.br / Avisos e notícias em seu e-mail clique aqui