Política

EM COLETIVA DE IMPRENSA

[VÍDEO] “O que o ministério da saúde tem a ver com distribuição de oxigênio?!”, diz Pazuello

O ministro da saúde Eduardo Pazuello hoje, em entrevista coletiva, fez uma pergunta "a todos os brasileiros: O que o ministério da saúde tem a ver com distribuição de oxigênio?". Com inúmeros casos de mortes por falta de oxigênio em Manaus e agora Acre e Rondônia, o ministro faz essa pergunta absurda escancarando cinismo mórbido.

segunda-feira 15 de março| Edição do dia

A pergunta foi feita após jornalista questioná-lo sobre o envio de oxigênio ao Acre e Rondônia. O tom de Pazuello foi de cinismo, como se o ministério da saúde não tivesse nada a ver com a distribuição de oxigênio para doentes espalhados pelo país. No auge da crise de Manaus, Bolsonaro e Pazuello já haviam pedido "calma" enquanto os manauaras morriam sem cilindros. Fala de Pazuello ocorre em meio à crise do ministério, com sua saída já praticamente anunciada, aguardando Bolsonaro escolher um outro nome em meio ao pior momento da pandemia.

O momento da pergunta pode ser visto no vídeo abaixo, a partir dos 39:10 minutos:

- Saiba mais:

A cara de pau do atual ministro só não é maior do que sua incompetência, pois para salvar vidas seria necessário colocar toda a indústria não essencial para produzir e distribuir cilindros de oxigênio de acordo com a demanda. Mas Bolsonaro, com seu negacionismo, e também os governadores preferem preservar os lucros dos empresários ao invés de combater a pandemia e seus efeitos de frente.

Para saber mais: Crise de Manaus: lutemos pela reestruturação da economia sob controle dos trabalhadores

A gestão da pandemia no Brasil está levando à morte centenas de milhares. Batemos recordes todos os dias e a tendência é morrer cada vez mais gente, seja pela COVID, seja pelo colapso dos sistemas de saúde nos estados e municípios. Bolsonaro, governadores e grandes empresários são os responsáveis pela situação.




Tópicos relacionados

Colapso da saúde   /    Bolsonaro   /    Eduardo Pazuello   /    Crise na Saúde   /    Governo Bolsonaro   /    Crise no governo   /    Política

Comentários

Comentar