Sociedade

EDIÇÕES ISKRA

V Salão do Livro Político começa segunda 27/5, com debates e feira de livros

De 27 a 30 de maio ocorre, no TUCA, na PUC-SP, a 5ª edição do Salão do Livro Político, uma iniciativa de um grupo de editoras independentes em parceria com a PUC-SP. Neste ano, a Edições Iskra estará presente com os livros de seu catálogo e seu último lançamento "Brasil: ponto de mutação".

sexta-feira 24 de maio| Edição do dia

Além de ser um evento político, o objetivo Salão do Livro Político é fortalecer as editoras independentes, aumentar a visibilidade de suas obras e incentivar as vendas e a leitura de livros políticos, que representam atualmente em torno de 2,5% do total de obras publicadas por ano no Brasil (sociologia, filosofia e economia). Nas últimas edições, o evento recebeu cerca de 3,5 mil visitantes e, entre os convidados, intelectuais e personalidades, como o escritor cubano Leonardo Padura, o sociólogo português Boaventura de Sousa Santos, o cientista político alemão, biógrafo de Karl Marx, Michael Heinrich, entre outros importantes nomes internacionais e nacionais.

Este ano o homenageado é Paulo Freire e, além do tema da Educação, serão discutidas relativas aos ataques que o governo de Jair Bolsonaro vem tentando impor à classe trabalhadora e à sociedade. Trazendo um amplo leque do espectro da esquerda, as mesas são compostas por políticos e acadêmicos já bem conhecidos, até figuras jovens, como Talíria Petrone, vereadora pelo PSOL, Sabrina Fernandes, que mantém o canal Tese Onze, e Edison Urbano, militante do Movimento Revolucionário de Trabalhadores (MRT). Sabrina, Edison e Talíria estarão ao lado de Wisnik na mesa “Hegemonia Cultural e o recado de Mano Brown”. Nas últimas eleições, as mais fraudulentas da história do regime de 88, o rapper, em comício pró-Haddad no Rio de Janeiro, foi assertivo: “Se não consegue falar a língua do povo vai perder mesmo”.

A programação é extensa e dinâmica, com debates acontecendo nos três períodos. São 4 mesas por dia: das 10h às 12h30; das 17h às 18h30 e das 19h às 23h. Serão discutidos temas como a opressão da mulher, resistência antifascista, hegemonia cultural e restauração conservadora na América Latina. “Educação ou barbárie: a volta à Idade Média?”, “Do tráfico à milícia: o estado paralelo que mata Marielles todos os dias” e “Imprensa: a hora da autocrítica?” estão entre as mesas. Além disso, a programação traz cursos sobre a relevância e atualidade de Paulo Freire (com Sonia Couto, das 14h30 às 16h30), e atrações culturais – aula-teatro Maria, ainda com a temática freiriana (com Ana Saul), apresentações dos grupos artísticos Slam da Guilhermina, Arlequins (peça O Capital), Quando Quebra e Queima e Cabaré Feminista – e lançamentos de livros nos intervalos.

Em parceria com o V Salão do Livro, as Edições Iskra promoverá no dia 28/5, às 16h30, uma roda de conversa com Edison Urbano, para tratar do tema central de Brasil: ponto de mutação. O livro é uma coletânea de artigos teóricos e críticos escritos pelo grupo de jovens autores marxistas que está à frente do semanário Ideias de Esquerda – suplemento teórico que sai aos domingos no portal Esquerda Diário. Com organização criteriosa de Urbano, mestre em História Social pela PUC-SP e graduado em engenharia pela Escola Politécnica da USP, o foco do livro recai nas eleições de 2018. Como anunciado no título, trata-se da crise do regime de 88, captada pelos articulistas num momento de grande expressão, conjugando teorias como bonapartismo, tomada de Trotski, e crise orgânica, emprestada de Gramsci, entre outras, e introduzindo uma leitura original do impeachment contra a presidente Dilma Rousseff no Brasil ao qualificá-lo de golpe institucional.

As editoras que participam da feira venderão livros com descontos que chegam até 40%.

Leia também: Brasil: ponto de mutação - um livro vermelho




Tópicos relacionados

Edições Iskra   /    Sociedade   /    São Paulo (capital)   /    Teoria

Comentários

Comentar