MILITARES NO GOVERNO

General Heleno, filho da ditadura, ameaça STF para garantir segredos de Bolsonaro

Como forma de advertir o STF, o General Heleno publicou uma nota à nação brasileira com um grave tom de ameaça ao STF contra a mera possibilidade de encaminhar a apreensão do celular de Bolsonaro. O aberto tom de ameaça é uma advertência ao ministro Celso de Mello que daqui a poucas horas deve decidir sobre a liberação da íntegra das gravações da reunião de Bolsonaro com seus ministros (22/04), que podem comprometer o governo.

sexta-feira 22 de maio| Edição do dia

General Heleno, um dos maiores defensores do bolsonarismo dentro das forças armadas, saudosista da ditadura militar junto a outros militares do alto escalão como Mourão, apoiador assíduo da política de desmatamento e genocídio dos povos indígenas na selva amazônica, além de defensor de primeira ordem da política de ataques aos trabalhadores, agora se manifesta mais uma vez ameaçando o STF para blindar Bolsonaro e as negociadas escabrosas desse governo imerso recheado de escândalos.

Os militares que veem nos últimos anos opinando cada vez mais na política nacional, vide os pronunciamentos do General Vilas Boas pela prisão do Lula, e agora estão assumindo mais e mais cargos importantes dentro do governo (só no ministério da saúde já são 12), nesse momento dão um enorme salto com essa declaração de ameaça golpista do General Heleno.

Heleno diz em nota que a apreensão do celular de Bolsonaro, se de fato ocorrer, será considerada "tentativa de comprometer a harmonia entre os poderes" e "poderá ter consequências imprevisíveis para a estabilidade nacional".

Um evidente tom de ameaça ao STF, que deixa claro que a reunião de ontem entre Bolsonaro, Governadores e Legislativo não envolve Militares e STF, que seguem em disputa para moderar os rumos do país. Heleno com essa declaração busca blindar o governo enquanto poder executivo que os militares têm controlado cada vez mais, lançando mão de métodos autoritários para fazer negociatas escusas com o centrão.

Nesse sentido, é preciso repudiar energicamente essas ameaças dos militares e exigir a completa transparência das reuniões entre os representantes da burguesia, pois o chamado ’segredo de estado’, dos chefes de Estado, diplomatas e agentes de espionagem, só favorece os setores apodrecidos do regime e a burguesia.

Aprofundaremos essa noticia com novas notas e analises.




Comentários

Comentar