Sociedade

ROUBO

Tucanos aumentam mais uma vez as passagens em SP

Nova tarifa abusiva passa a valer no dia 1º de janeiro.

terça-feira 24 de dezembro de 2019| Edição do dia

A tarifa de ônibus, metrô e trens vai subir para R$ 4,40 a partir do dia 1º de janeiro de 2020 em São Paulo. As gestões do prefeito Bruno Covas (PSDB) e e do governador João Doria (PSDB) anunciaram o aumento nesta sexta-feira (20). Hoje, as passagens unitárias dos três modais de transporte custam R$ 4,30 cada.

Já a integração com o Bilhete Único passará a custar R$ 7,65. Atualmente, a tarifa é de R$ 7,48. O aumento de 17 centavos na integração, maior que os 10 centavos na passagem unitária mostra como ano a ano os governos trabalham para abolir a integração e fazer os trabalhadores terem que deixar parcelas maiores de seus miseráveis salários para se locomover. A integração que começou como gratuita agora já alcança um valor de 87% de duas passagens.

O aumento das passagens que começa no primeiro dia de 2020 acontece em meio a continuidade do gigantesco desemprego, aumento do trabalho informal e precário, e sem registro, portanto sem vale-transporte, e significa que cada vez mais jovens e trabalhadores terão seu direito de ir e vir furtando pelos governos para aumentar os lucros dos capitalistas do transporte.

O Sindicato de Metroviários de São Paulo divulgou nota se opondo a esse aumento, reproduzimos ela abaixo:

Não ao aumento das tarifas!

No fim da tarde de sexta-feira, 20/12, o governador João Doria e o prefeito Bruno Covas, ambos do PSDB, anunciaram o aumento das tarifas dos transportes para R$ 4,40 e da integração para R$ 7,65. Assim metrô, trens e ônibus ficarão ainda mais caros a partir de º1 de janeiro.

Com quase 4 milhões de desempregados, a população de SP mal tem a garantia dos meios para a sobrevivência. Mais uma vez os governos transferem os custos da crise para o povo. Como grande parte do sistema de transporte privatizado, o aumento do preço das passagens é uma política que visa transferir os lucros para empresários do setor e o ônus para a população.

O Sindicato é contra o aumento das tarifas e defende políticas de subsídios aos transportes e o fim das privatizações. Vamos lutar em defesa do transporte público, estatal e de qualidade!

O Esquerda Diário defende a estatização, sem indenização, de todo o transporte público para que este seja gerido por seus trabalhadores e usuários, visando e garantindo sua efetiva e racional mobilidade e não os lucros. Apoiamos as mobilizações que irão acontecer contra mais um abusivo aumento a atingir os bolsos dos trabalhadores e da juventude.




Tópicos relacionados

Precarização do Transporte Público   /    Sociedade   /    Transporte   /    ABC paulista   /    São Paulo (capital)

Comentários

Comentar