Internacional

EUA

Trump não é bem-vindo: milhares se mobilizam em Londres

"Donald Trump is not welcome here" (“Donald Trump não é bem-vindo aqui”) é a consigna que reuniu, nesta terça-feira, dezenas de milhares de pessoas no centro de Londres em rechaço a viagem de Estado do presidente dos Estados Unidos ao Reino Unido.

terça-feira 4 de junho| Edição do dia

A praça de Trafalgar estava repleta, quase não se podia caminhar. Milhares de cartazes, máscaras e pelicas para protestar contra o mandatário norte-americano e suas políticas. Sobrevoando as ruas da capital, o já habitual “Baby Trump”, o balão gigantesco alaranjado que faz uma caricatura do presidente, fez sua aparição desde as primeiras horas.

Na Trafalgar Square se iniciou uma grande marcha por Whitehall - onde se localizam os escritórios governamentais - que desembocou perto de Downing Street - a residência e escritório oficial da primeira ministra - onde Trump e Theresa May, que já anunciou sua renúncia ao cargo, se reuniam em um almoço de trabalho.
Entre as várias mensagens se destacava que o presidente estado-unidense “está ofendendo os muçulmanos, mexicanos, imigrantes, a comunidade LGBT, as mulheres (...)”, segundo remarcou uma jovem Londrina e muçulmana, Fariah, em entrevista à agência Efe.

Outro britânico, Paul Russell, um homem de meia idade que tinha vindo de Essex para protestar, via claramente que Trump “é tudo o que deveríamos combater e um símbolo para a extrema-direita”.

Outro ponto de atração de atração em Trafalgar foi um grande boneco representando o presidente sentado em uma privada dourada, enquanto tuíta e profere seus já clássicos impropérios para deleite dos espectadores: “Fake news” (notícias falsas) ou “I’m a very stable genius” (sou um gênio muito equilibrado).

“Fake news” é o que disse Trump quando foi perguntado sobre a manifestação. Ele afirmou isso em uma conversa com a imprensa junto com a primeira ministra britânica, na sede do Foreign Office. Para completar a insólita afirmação disse que tanto segunda-feira quanto hoje foram vistas “milhares de pessoas” torcendo por ele pelas ruas da capital, algo que não foi documentado por nenhum veículo de mídia nacional.

A viagem de Estado começou esta segunda-feira e terminará amanhã, quando está prevista uma cerimônia para comemorar o 75º aniversário da batalha da Normandia, em Portsmouth (sul da Inglaterra), festa que será assistida por Trump e Isabel II.

Antes de aterrissar em solo britânico Trump já dava uma mostra do que se podia esperar desses dias. Através de sua rede social favorita, o Twitter, o magnânimo nova-iorquino se lançou contra o prefeito de Londres, um trabalhista e muçulmano, Sadiq Khan: “Sadiq Khan, que fez um trabalho terrível como prefeito de Londres criticou de maneira tonta e degradante a visita do presidente dos Estados Unidos, o aliado mais importante do Reino Unido de longe. É um perdedor irrecuperável que deveria se concentrar em combater a delinquência em Londres, e não em mim”.

Em entrevista ao jornal dominical “The Sunday Times”, Trump assegurou que o Reino Unido deveria estar preparado para a saída da União Europeia (UE) sem acordo e incorporar o político antieuropeu e anti-imigração as negociações do “Brexit”. É declarar todo o apoio e respaldo a uma saída dura da União Europeia. Também manifestou abertamente seu apoio ao eurocético e ex-ministro de exteriores, Boris Johnson, como novo líder conservador ao afirmar que seria um “excelente” primeiro-ministro britânico.




Tópicos relacionados

Theresa May   /    Donald Trump   /    Brexit   /    Internacional

Comentários

Comentar