×

Trabalhadores terceirizados da limpeza, canteiro de obras e transporte fazem paralisação na UFRN. Todo apoio!

Reitoria, CRIART e D&L atrasam salários dos trabalhadores terceirizados da UFRN mais uma vez. Os trabalhadores estão paralisados e é fundamental estar ao lado de quem constrói o chão que pisamos na universidade!

Yasmim SantosEstudante de Letras na UFRN e militante do Pão e Rosas

segunda-feira 13 de maio | Edição do dia

Desde o ano passado, os trabalhadores terceirizados da limpeza paralisam mês após mês devido não receberem seus salários. Agora, também os terceirizados do canteiro de obras e os motoristas tiveram seu pagamento atrasado, um absurdo com trabalhadores essenciais para que a universidade funcione! Muitos relatam, inclusive, que com o atraso sequer conseguem ter o dinheiro para ir trabalhar, perdem prazo de contas e do aluguel. A paralisação dos motoristas já conseguiu que alguns trabalhadores sejam pagos, mas parte da categoria ainda não recebeu e segue o completo descaso. A luta tem demonstrado força, desde a semana passada já foram dois dias em que o RU de Ciências Tecnológicas ficou fechado devido à paralisação dos motoristas e da limpeza.

Além disso, semanas atrás, os trabalhadores denunciaram também que o valor das refeições matinais fornecidas pela empresa era descontado de seus salários, mas que comiam comida crua, velha e podre. E é sob essas condições de trabalho que centenas de trabalhadores exercem suas funções dentro de uma das melhores universidades do Nordeste, algo que a Reitoria da UFRN, também responsável por descontar os cortes nos trabalhadores e estudantes, se vangloria, quando a universidade se mantém sob trabalho precário e terceirizado. Mas o que vivem os trabalhadores da UFRN é expressão direta do que é a terceirização: exploração de trabalhadores, sobretudo de mulheres negras, em condições precárias e desumanas, com a realização de trabalho pesado sem os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) adequados, sem local para descanso ou até mesmo para realizar suas necessidades básicas, como guardar o almoço ou ir ao banheiro.

Chega de fechar os olhos para o que vivem os trabalhadores sob a terceirização! Esse formato precário de trabalho se expande desde 2000, nos primeiros anos de governo Lula, teve suas barreiras quebradas pelas reformas anti-operárias do golpista Temer, mas a Frente Ampla mantém as reformas e, inclusive, com medidas próprias de ataque aos trabalhadores, como é o PL da Uberização do trabalho e o Arcabouço Fiscal.

Restaurante Universitário de Ciências Tecnológicas fechado devido à paralisação.

Ao mesmo tempo, os docentes, técnicos, bolsistas e estudantes de mais 6 cursos da UFRN também estão em greve. Greve essa que se enfrenta com o reajuste zero e o arrocho no orçamento das universidades, que segue sem a revogação dos cortes e com uma recomposição pífia diante dos anos de desmonte, e nessa grande batalha, a luta por efetivação dos terceirizados sem necessidade de concurso não pode deixar de ser pautada.

Por isso, o Diretório Central dos Estudantes (DCE), dirigido pelas juventudes do PT e PCdoB, deve convocar uma assembleia geral que de fato prepare es estudantes para serem parte ativa da greve, em unidade com todos os trabalhadores paralisados e independentemente dos governos e patrões! O Esquerda Diário e a Faísca Revolucionária são parte de construir uma campanha nacional em defesa da contratação dos terceirizados sem necessidade de concurso, o Manifesto contra a Terceirização e a Precarização do Trabalho, e chamamos todes a também assinar e ser parte da luta unificada de trabalhadores e estudantes.




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias