Mundo Operário

TELEMARKETING

Trabalhadores do telemarketing paralisam e fazem ato em SP: "Não vamos morrer na PA"

Nesta sexta-feira, 20, trabalhadores da empresa de telemarketing Almaviva paralisam em São Paulo contra o descaso dos patrões com sua saúde em meio à crise do Coronavírus. Segundo relatos, na empresa não tem nem papel higiênico no banheiro.

sexta-feira 20 de março| Edição do dia

"Da minha saúde, não abro mão. Ô Almaviva vou parar a operação" é uma das palavras de ordem que ecoa da voz dos trabalhadores nessa manhã. No dia anterior, quinta-feira, 19, trabalhadores de call center em Salvador também paralisaram contra o descaso da patronal.

Um trabalhador da empresa relatou a situação dentro da Almaviva e o descaso absurdo da patronal:

"Trabalho na Almaviva há 4 meses. Faz mais ou menos uma semana que eles falam que vão liberar álcool em gel para a gente que vão colocar mais aqueles potes com álcool em gel nos corredores e isso não aconteceu. A gente já tem casos suspeitos aí dentro e o máximo que eles fizeram foi colocar mais sabão nos banheiros e deram veja para a gente limpar as PAs porque eles não limpam. Então é PA compartilhada com muita gente passando a mão no mouse, teclado, é na cadeira, é a mesma cadeira o mesmo posto de atendimento, são lugares pequenos para uma quantidade enorme de pessoas. Então a gente tá parando porque a empresa não ta nem aí para a gente. Não vem alguém para falar "é assim que se lava a mão, é assim que se previne, é assim que você vai evitar de contagiar alguém se você estiver com sintomas". Então a gente tá paralisando por isso, porque eles não dão nenhum parecer para a gente"

O coronavírus vem se alastrando cada dia mais no país e no mundo e é escandaloso o que os patrões estão fazendo obrigando os trabalhadores a continuarem trabalhando sem condições mínimas de precaução. Um relato chegou a dizer que nos banheiros não tem nem papel higiênico.

Outra trabalhadora presente no ato relatou:

"Eu sei que todo mundo aqui tem conta pra pagar e filho pra cuidar, mas ninguém vai conseguir pagar as contas e cuidar dos seus filhos se estiverem mortos. Não podemos desanimar, não podemos deixar que façam isso com nossas vidas. Não vamos desanimar"

Essa ditadura patronal que se coloca aos trabalhadores devem ser respondidas por meio da auto-organização dos trabalhadores, tomando como exemplo as greves dos trabalhadores italianos, que têm lutado contra esses mesmos ataques feitos pelos patrões para manter seus lucros. Seguir o exemplo dos professores e trabalhadores de fábrica argentinos, que tem feito ações de solidariedade produzindo álcool em gel e mascaras para a comunidade, respondendo as reais demandas da população, pois deixar tais tarefas nas mãos das empresas fará com que os lucros dessas prevaleça sobre a real necessidade que se coloca: proteger a saúde dos trabalhadores e da população.

Para que a saúde dos trabalhadores e povo pobre seja de fato protegida, é necessário colocar o 100% SUS no controle dos trabalhadores da saúde sendo gerido pelo povo; que todos os recursos que vão para o pagamento da dívida pública, fraudulenta e ilegal, e também que estão nas mão das grandes clínicas privadas seja colocada para a expansão da estrutura de saúde pública e aumento a contratação de funcionários para que não haja sobrecarga; além da derrubada da Lei do Teto de Gastos. Para que essas e outras ideias se concretizem é necessário que os trabalhadores de cada local de trabalho se organizem para dar essas e outras respostas e tomem o controle da situação e das produções em suas mãos.

Nossa saúde vale mais do que o lucro deles!

* * * * * * * * *
CORONAVÍRUS: ENVIE SUA DENÚNCIA
Contato / WhatsApp / Signal / Telegram: +55 11 97750-9596
E-mail: [email protected]

Contribua com o Esquerda Diário!

Siga o Esquerda Diário nas redes sociais!
Youtube: Esquerda Diário
Instagram: @EsquerdaDiarioOficial
Twitter: @EsquerdaDiario
Facebook: Esquerda Diário




Tópicos relacionados

Coronavírus   /    Telemarketing   /    São Paulo   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar