Política

AUTORITARISMO JUDICIAL

Tofolli pavimenta avanço da reforma da previdência também em São Bernardo

Em mais uma decisão autoritária do judiciário golpista e antioperário, o presidente do STF Dias Tofolli suspendeu decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo que impedia a tramitação da reforma da previdência em São Bernardo do Campo.

quinta-feira 27 de fevereiro| Edição do dia

Assim como tinha feito recentemente permitindo a tramitação da reforma da previdência estadual a mando de Dória (link da matéria), o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Tofolli suspendeu decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo que impedia a tramitação da reforma da previdência no município de São Bernardo do Campo.

Mais uma vez fica escancarado o papel do privilegiado judiciário que segue atacando os direitos dos trabalhadores como foi durante a greve dos petroleiros (link da matéria) quando o presidente do STJ Ives Gandra utilizou as mais absurdas decisões, decretando a ilegalidade da greve, permitindo a contratação de temporários para furar a greve, multando e bloqueando a conta dos sindicatos, para atacar o legitimo movimento dos trabalhadores contra as privatizações e demissões.

Tofolli não ficou atrás quando foi um dos articuladores junto ao legislativo e ao executivo para fazer passar a reforma da previdência que nos fará trabalhar até morrer e agora segue facilitando o caminho dos governos e capitalistas para que façam as reformas em seus Estados e Municípios.

Em um momento onde Bolsonaro apoiado em setores militares avança com seu autoritarismo convocando atos contra o congresso para aprofundar os ataques a classe trabalhadora, judiciário e legislativo disputam com o governo a primazia dos ataques inclusive em nome da “democracia”. Os trabalhadores organizados devem lutar contra a extrema-direita reacionária sem se deixar enganar pelo golpismo do STF, de Maia e do Centrão, é necessário apostar na luta de classes apoiados pelo exemplo da greve dos petroleiros.




Tópicos relacionados

Dias Toffoli   /    STF   /    Poder Judiciário   /    Política

Comentários

Comentar