Mundo Operário

PARALISAÇÃO

Terceiro dia de paralisação dos terceirizados da G&E em Cubatão contra o calote da empresa

Empresa G&E que prestava serviços à Petrobras na refinaria Presidente Bernardes em Cubatão não paga rescisão aos trabalhadores. Terceirizados de outras empresas se solidarizam e também cruzaram os braços.

quarta-feira 12 de maio| Edição do dia

Foto: Reprodução SINDIPETRO-LP

Pelo terceiro dia consecutivo, os trabalhadores da G&E Engenharia seguem mobilizados contra o calote da empresa. Os terceirizados do Portão 10 se uniram à luta e também cruzaram os braços em solidariedade.

Na última sexta-feira (07/05) a empresa se comprometeu a pagar as verbas indenizatórias no dia 10/05 e também fazer o repasse do salário de quem ainda está empregado. Na manhã de ontem (11/05), a chefia da terceirizada, após receber uma fatura da Petrobrás cujo valor é suficiente para quitar os pagamentos pendentes, se comprometeu novamente a honrar as pendências. A “promessa” foi quebrada e até o momento ninguém recebeu um centavo.

Veja também: Empresa G&E não paga rescisão e terceirizados fazem greve na Refinaria Presidente Bernardes

As mobilizações seguem intensificadas em toda a refinaria. A greve é a única ferramenta encontrada pelos trabalhadores, já que Petrobras e empresas terceirizadas estão aliadas contra os direitos dos trabalhadores da do setor do petróleo. Em uma conjuntura de pandemia, falta de segurança nos locais de trabalho e desemprego, a política destas empresas mostra que só se preocupam realmente com o lucro, não com a vida dos trabalhadores.

Leia mais: Terceirizados empregados paralisam em solidariedade a desempregados na refinaria de Cubatão




Tópicos relacionados

Petróleo   /    Trabalhadores Terceirizados   /    Petrobras   /    Privatização da Petrobras   /    Terceirização   /    São Paulo   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar