Mundo Operário

CORREIOS

Terceirizados dos Correios paralisam contra parcelamento de salário em Indaiatuba (SP)

Na manhã de sábado, 11, trabalhadores terceirizados dos correios de Indaiatuba estão realizando mais um dia de paralisação após a MG terceirização ter anunciado que iria parcelar o salário dos trabalhadores.

sábado 11 de julho| Edição do dia

Hoje trabalhadores terceirizados da MG terceirização dos Correios de Indaiatuba, centro de tratamento de cartas e encomendas, estão em mais um dia de paralisação porque a empresa anunciou o parcelamento do salário dos trabalhadores. Essa situação não é isolada de demais ataques que os trabalhadores têm que enfrentar desde o início da pandemia, com vários funcionários sem contrato assinado, sobrecarga de trabalho, além da absurda falta de EPIs adequados, em um cenário que ultrapassamos os 70 mil mortos por coronavírus no Brasil, de acordo com os números oficiais.

A mobilização está ocorrendo no primeiro turno dos trabalhadores, que entram geralmente às 6h da manhã. Os correios estão buscando formas de desarticular a luta. Soltou um comunicado para a gerência das agências, solicitando que trabalhadores concursados fossem trabalhar no fim de semana em Indaiatuba, numa clara tentativa de não parar as entregas, com muito assédio para que os funcionários compareçam.

Essa situação revoltante acontece em meio à pandemia do coronavírus que avança a cada dia fruto da política negacionista de Bolsonaro que ao invés de se preocupar em oferecer medidas mínimas de combate à crise como testes e EPIs para quem continua trabalhando, coloca Paulo Guedes para avançar com seus planos de privatizações – incluindo os correios – que tem como único objetivo enriquecer ainda mais os bancos e empresas enquanto mantém o pagamento da ilegítima, ilegal e fraudulenta dívida pública.

Mesmo os governadores, que se colocaram como oposição ao governo federal no início da crise, agora mostram como suas prioridades sempre foram os empresários ao implementar a reabertura do comércio no momento tão crítico da pandemia, sem nenhuma preocupação com a vida da população pobre e dos trabalhadores.

Assim, a mobilização dos trabalhadores da MG terceirização é um exemplo a ser tomado, de trabalhadores que não aceitam ter seus salários parcelados em meio a toda essa situação. Nós do Esquerda Diário e do Movimento Nossa Classe prestamos toda nossa solidariedade aos trabalhadores em luta e colocamos nossas energias para apoiá-los ativamente.




Tópicos relacionados

Trabalhadores Terceirizados   /    Governo Bolsonaro   /    Trabalhadores   /    Correios   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar