Juventude

POLÍCIA NA OCUPAÇÃO

Tática nazista? Fascista é a polícia que quer reprimir adolescentes com armas

Nesta quarta (04) enquanto o vice-governador de São Paulo, em seminário no Guarujá-SP, compara ocupações das ETECs com tática nazista, a justiça, que tem um lado e não é o nosso, libera armas para que a polícia possa reintegrar violentamente o prédio da Ocupação do Centro Paula Souza, onde centenas de jovens lutam pelo direito à merenda.

quinta-feira 5 de maio de 2016| Edição do dia

Fotos: Rovena Rosa/Agência Brasil

Márcio França (PSB), vice de Alckmin em seminário no Guarujá declarou que a ocupação do Centro Paula Souza por estudantes que reivindicam educação de qualidade e merenda para que possam seguir estudando, assemelha-se a tática utilizada pelo nazismo durante o fim da 2ª Guerra Mundial, e que esta estaria ligada ao impeachment de Dilma, e não à política nefasta desse governo que ano passado já enfrentou ocupações contra o fechamento de escolas regulares em todo o Estado de São Paulo e que serviu de exemplo para todo o país.

Pouco tempo depois das declarações estúpidas do vice-governador, a justiça, que vem mostrando cada dia mais de que lado está, através do desembargador Rubens Rihl, concedeu liminar ao Estado de São Paulo e à Polícia Militar que permite o uso de armas para a repressão contra estudantes secundaristas que ocupam o prédio do Centro Paula Souza em São Paulo.

Com essa decisão, a ordem expedida pelo juiz Luis Manual Fonseca Pires, que proibia o uso de armas contra os adolescentes, ficou superada, e o governador Geraldo Alckmin, ladrão de merenda, mostrou mais uma vez que está disposto a jogar sua polícia com bombas, cassetes e balas para bater em crianças e defender seus privilégios de corrupto, e os estudantes é que usam táticas fascistas segundo seu vice...

São mais de 14 ETECs ocupadas e duas diretorias de ensino, com o mesmo objetivo: reivindicar a merenda para as ETECs que nunca tiveram e para as escolas onde ela está sendo cortada, uma vez que as verbas destinadas a esse fim foram desviadas.

O escândalo do merendão, como ficou conhecido, tem sido alvo de inúmeros protestos dos secundaristas desde o início do ano, além de torcidas organizadas e setores populares que se indignam com a falta de alimentos aos milhares de alunos que frequentam o ensino público e muitas vezes fazem dessa a única refeição do dia.

Não é de se espantar que tal declaração tenha saído da boca de um representante deste governo que por ordem judicial pode reintegrar o Centro Paula Souza, usando a violência policial cotidiana e já conhecida pelos jovens nas periferias todos os dias. O mesmo governo que também possui um secretário da educação (Nalini) que declarou recentemente que a educação não pode ser responsabilidade do Estado, e que hoje retira das escolas públicas materiais básicos como papel higiênico, impressora, papel sulfite, além da precária condição dos professores, que recebem salários miseráveis e tentam exercer sua função docente com salas cada vez mais superlotadas.

Tais declarações e a ação combinada da justiça e polícia a favor do Estado servem para moldar a opinião pública frente ao enorme impacto positivo que as ocupações dos secundaristas têm nesse momento no país, pois mostram que o caminho correto é a luta e a resistência para botar de joelhos os governos e os patrões, e assim reprimir de forma dura os lutadores. Portanto, não nos deixemos enganar com tais mentiras, tática nazista é a da polícia que quer reprimir com balas e bombas os estudantes em luta.

Sigamos em apoio ativo aos bravos secundaristas que mais uma vez são exemplo de resistência neste país, que mostram as burocracias estudantis da UMES, UBES e companhia, entidades que foram incapazes de articular qualquer luta séria contra os reacionários do impeachment e mais ainda contra os ataques dos governos, como se luta de forma independente e combativa. Unificar às lutas rumo a greve geral da Educação!




Tópicos relacionados

Secundaristas   /    #OCUPATUDO   /    Ocupação Escola   /    Juventude

Comentários

Comentar