Política

CORONAVÍRUS

Sorriso de Feliciano pagaria 326 dias de internação para tratar coronavírus em UTI do SUS

segunda-feira 16 de março| Edição do dia

Os políticos que cortaram da saúde por décadas agora recomendam que trabalhadores se virem para não pegar o coronavírus. Estes são os mesmos políticos que, aliás, tem altos gastos com despesas de saúde pagos pelo próprio contribuinte, como é o caso do Pastor e Deputado Marcos Feliciano, que teve estratosféricos gastos em uma operação dentária com o mero objetivo de mostrar seu sorriso de "apropriador" do dinheiro público.

A operação estética dentária de Feliciano custou aos cofres públicos a bagatela de R$ 157 mil reais, valor reembolsado ao deputado-pastor pela Câmara de Deputados. Com este mesmo valor, seria possível pagar 326 dias de internação em uma Unidade de Tratamento Intensivo do SUS para pessoas que precisam respirar pela via de aparelho.

O gráfico acima, colhido do site auditasus.com.br revela que a diária de internação para a Pneumonologia sanitária (tisiologia), que a pessoa com complicações do coronavírus deve recorrer, custa em média R$ 483,54 reais no Sistema Público de Saúde, em um cálculo de 2019. Os 156 mil reais gastos com o sorriso ingrato de Marcos Feliciano, divididos por este valor, pagaria 326 diárias, mais ou menos, do tratamento necessário às pessoas com complicações do coronavírus.

Os políticos atacam os trabalhadores e sempre garantem seus próprios privilégios. Por isso, é uma injustiça que um trabalhador seja obrigado a ficar em casa, cuidar das crianças porque as aulas foram canceladas, e ter que lidar com o assédio da patronal, a ameaça de demissão em casos de quarentena, e inclusive o risco de vida por falta de leitos no SUS.

Não será destes políticos que virá um combate real ao coronavírus, pois estes estão com o deles garantido, pagos com nosso dinheiro inclusive. É preciso taxar as grandes fortunas para fazer com que todos tenham acesso aos testes para diagnosticar o covid-19, assim como é preciso abrir leitos, estatizar leitos de hospitais privados e investir na saúde, tudo o contrário do que tem feito Crivella, Witzel e Bolsonaro.




Tópicos relacionados

Coronavírus   /    Marco Feliciano   /    Política

Comentários

Comentar