Política

REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Senadores querem acabar com a sua aposentadoria nesta quarta

O Plenário do Senado está prevendo as duas últimas sessões de discussão do texto final da Reforma da Previdência na terça-feira (15) e quarta-feira (16).

segunda-feira 14 de outubro de 2019| Edição do dia

Combinado à Reforma Trabalhista, caso aprovada, vai impor um nível de precarização sem precedentes para os trabalhadores.

No dia primeiro (1) de outubro, o Senado aprovou com bastante folga a reforma da Previdência, em primeiro turno e por 56 votos a 19. O texto aprovado estabelece uma idade mínima de 65 anos para homens e 62 para mulheres. Segundo o texto, um trabalhador terá que trabalhar 40 anos para obter aposentadoria integral.

Nas regras de transição para as idades estabelecidas, as mulheres começam a se aposentar aos 56 anos e os homens aos 61. O tempo de contribuição em que os trabalhadores precisam acumular 100/105 pontos, ao contrário dos 86/96 pontos anteriormente previstos, também foi mantido.

Este ataque frontal aos trabalhadores imporá uma condição ainda mais miserável, com uma perspectiva de trabalhar até morrer ou morrer trabalhando. O Congresso ainda vai analisar uma segunda proposta (PEC 133/2019) que contém alterações e acréscimos ao texto principal, como a inclusão de estados e municípios. Enquanto isso o governo Bolsonaro segue outros ataques como o Future-se e os cortes na CAPES/CNPq, uma vez que só a Reforma da Previdência, vendida como única solução frente à crise econômica, não será suficiente para recuperar a economia nos marcos necessários para o governo

Bolsonaro quer que a juventude, a classe trabalhadora e o povo pobre pague por essa crise e vem com tudo descarrega-la nas nossas costas. É necessário para já um plano de lutas! a UNE e as Centrais Sindicais não vem dando nenhum tipo de resposta a altura da gravidade da situação. É preciso apoiar e massificar por todo o país com comitês de mobilização a luta da UFSC que vem fazendo uma forte greve estudantil.

Imagem: Jota
Fonte de informações: Revista Exame




Tópicos relacionados

Governo Bolsonaro   /    Reforma da Previdência   /    Senado   /    Política

Comentários

Comentar