Sociedade

RIO DE JANEIRO

Segue a crise na saúde no Rio, agora a pediatria nas UPAs está oficialmente restringida

quarta-feira 30 de dezembro de 2015| Edição do dia

Fila UPA São Gonçalo: Jornal Extra

Um dia depois da reunião dos governadores com o ministro Barbosa o governo do Rio tomou novas medidas de sucateamento da saúde pública. Sem faltar recursos para as Olímpiadas e caríssimos shows no réveillon o governo oficializou restrições a pediatria em dez UPAs.

A Secretaria Estadual Saúde do Rio de Janeiro (SES) restringiu os serviços de pediatria em dez Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) nesta terça-feira, 29. Na segunda-feira, 28, havia quatro UPAs com atendimento restrito apenas às crianças em situação grave.

As UPAs com áreas pediátricas prejudicadas são Campo Grande I, Campo Grande II, Santa Cruz, Nova Iguaçu I, Nova Iguaçu II, Duque de Caxias I, Duque de Caxias II, Queimados, Mesquita e Magé.

O atendimento da clínica médica nessas unidades também está restrito aos casos mais graves, exceto nas UPAs de Duque de Caxias. Os pacientes serão encaminhados para as unidades de saúde mais próximas.

De acordo com o boletim divulgado pela SES, os Hospitais Estaduais Rocha Faria, Albert Schweitzer, Carlos Chagas, Getúlio Vargas, Adão Pereira Nunes, Azevedo Lima, Alberto Torres, Hospital da Mulher Heloneida Studart, Hospital da Mãe e Melchíades Callazans estão funcionando normalmente. Mas os atendimentos são restritos a casos de urgência e emergência.

Enquanto isto os terceirizados destes hospitais seguem sem receber e todo funcionalismo ainda não teve seus 13º salários pagos. Como escreveu Desirée Carvalho, Pezão colocou a saúde do Rio na UTI, e já houve casos de parto na calçada, mortes por falta de atendimento, agora a crise também está sendo descarregada na saúde das crianças.

Esquerda Diário / Agência Estado




Tópicos relacionados

Sociedade   /    Rio de Janeiro

Comentários

Comentar