Sociedade

TRAGÉDIA EM MINAS GERAIS

Samarco pode ser multada em R$10 milhões por dia caso lama chegue ao litoral capixaba

sexta-feira 20 de novembro de 2015| Edição do dia

Foto: Prefeitura de Colatina

A mineradora Samarco foi intimada ontem a adotar em 24 horas medidas para tentar impedir que a lama que matou o Rio Doce com rejeitos de minério não chegue ao mar no litoral capixaba, distrito de Regência, em Linhares. Especialistas, porém, apontam que o prazo é curto e que a empresa já deveria ter tomado essas medidas com maior antecedência.

Conforme a decisão, do juiz Rodrigo Reiff Botelho, da 3ª Vara Cível de Vitória, a mineradora, que pertence a Vale e a anglo-australiana BHP Billiton, será multada em R$ 10 milhões por dia caso a determinação não seja cumprida. A determinação foi dada por via de ação do Ministério Público Federal (MPF), com base em cálculos do Ibama, que estimou que a lama chegará ao litoral do Espírito Santo hoje, sexta feira (20).

A foz do Rio Doce é uma área que concentra a maior diversidade marinha brasileira. Caso a lama com rejeitos de minério tome o litoralmente capixaba, como é previsto que acontecerá, ela destruirá o mangue e o mar da região, ameaçando colocar espécies em extinção e afetando espécies como tartaruga gigante, golfinho pontoporia, baleias jubartes. Se chegar a Vitória a lama destruirá outros manguezais.

Após a destruição de distritos inteiros em Mariana como Bento Rodrigues e Paracatu, ficou claro que a empresa é incapaz de zelar pela saúde humana e do meio ambiente. Enquanto aumenta a destruição ambiental afetando a população de dezenas de cidades, o governo de Fernando Pimentel seguiu defendendo benefícios às mineradores por via de projeto de lei que flexibiliza a licença ambiental para as empresas e a presidente Dilma Rousseff criou decreto que passa a considerar “natural” http://www.esquerdadiario.com.br/Dilma-usa-o-FGTS-para-repartir-os-custos-da-tragedia-com-a-empresa-Samarco o desastre causado pelo rompimento de barragens.

Não sairá de ações da empresa junto aos governos uma resposta para diminuir os danos da tragédia muito menos de reconstruir comunidades e toda uma bacia hidrográfica. Enquanto seguir a gestão da crise pelas ações da Samarco mais vítimas e destruição do meio ambiente serão contabilizados. Portanto, a gestão da crise não pode continuar sob controle das empresas que tem os governos petistas como aliados.

Apenas os trabalhadores junto à população e especialistas podem dar uma resposta para diminuir ao máximo o estrago sócio ambiental causado pelas mineradoras, com o confisco dos bens da empresa e a luta pela imediata reestatização da Vale sem indenização a seus atuais donos e acionistas, responsáveis por uma das maiores tragédias sócio ambientais do país.




Tópicos relacionados

Tragédia em MG-ES   /    Sociedade

Comentários

Comentar