Política

REFORMA DA PREVIDÊNCIA

STF autoriza volta de propaganda enganosa sobre Reforma da Previdência

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Carmen Lucia, suspendeu nesta quarta-feira (05) a liminar proposta pela juiza Marciane Bonzanini que proibia as propagandas sobre a Reforma da Previdência Social. Desta maneira, o STF se posiciona claramente a favor da disseminação de propagandas falsas que são vinculadas ao governo golpista de Temer para atacar os trabalhadores.

quinta-feira 6 de abril de 2017| Edição do dia

A antiga liminar, proposta após 9 sindicatos gauchos exigirem alguma medida efetiva contra a as propagandas enganosas, propunha uma multa de 100 mil reais por dia, por descumprimento da norma. Cármen Lúcia suspendeu a liminar da Justiça Federal ao analisar um recurso apresentado pela Advocacia-Geral da União (AGU) que pedia a continuidade da campanha publicitária.

Na decisão, Cármen Lúcia entendeu que a suspensão da propaganda é grave lesão à ordem pública e tira da administração pública os meios necessários para divulgação da proposta, motivação e repercussão. Em outras palavras, o STF toma partido de Temer e dos ajustes contra a classe trabalhadora para favorecer os interesses do grande empresariado. E assim permite a vinculação de uma propaganda que tente confundir os brasileiros de que a reforma é necessária e não é "tão ruim assim", mas a força expressa nas mobilizações do dia 15M e do dia 31M são uma clara demonstração que a população não aceitará essa reforma de braços cruzados.




Tópicos relacionados

Reforma da Previdência   /    STF   /    Poder Judiciário   /    Política

Comentários

Comentar