Sociedade

MAIS UM ABUSO CONTRA O BOLSO DO CARIOCA

Rio de Janeiro a Niterói, Barcas a R$ 10,00?

Carlos Neira

RIO DE JANEIRO

sexta-feira 27 de março de 2015| Edição do dia

Foto: EFE

A empresa CCR, atual concessionária do sistema de transporte de barcas da Baía de Guanabara declarou ter um prejuízo de R$110 milhões na administração do sistema durante os 2 últimos anos. Com esta desculpa pretende praticamente duplicar o valor da passagem, alcançando os absurdos R$ 10,00.

Esta medida acontece após anos desta empresa monopolista lucrar não só com esta concessão pública exclusiva das barcas, mas também com a concorrente ponte Rio-Niterói, que também é administrada pela mesma empresa. Os trabalhadores dos dois lados da baía podiam escolher entre pagar pedágio para a CCR Ponte, ou comprar passagem da CCR Barcas.

Este lucrativo negócio é de vital importância considerando que na região metropolitana do Rio 1 milhão de pessoas estuda ou trabalha fora da cidade onde mora, sendo que uma grande parte desse milhão se desloca entre Rio e Niterói.

A empresa alega precisar aumentar o preço das passagens das barcas para R$10,00. Isto só para bancar os custos do funcionamento e manutenção do sistema. A empresa não precisa comprar as barcas, quem faz isto é o governo do estado. Não precisa fazer nenhum investimento e ainda alega precisar deste aumento abusivo. Estes R$10, como todos aumentos que tem ocorrido, não se traduzirão em melhorias futuras, mas só aumentarão o caos do transporte que é promovido pela atual gestão da CCR. Que não deixa nada a dever a outras concessionárias que lucram com o transporte precário, como é o caso da Supervia de trens, a MetrôRio e as inúmeras empresas cartelizadas de ônibus.

Cara, precária e perigosa travessia

Mesmo com a chegada de novas embarcações, a qualidade do serviço deixa muito a desejar. Segundo Erika Nascimento, produtora cultural e mestranda da UFF, o aumento é abusivo, já que "R$5,00 já é alto demais para um trecho curto e não garante aos usuários um serviço de qualidade. Diariamente são longas esperas entre uma barca e outra, filas gigantescas, não existe barca após meia noite". A qualidade do serviço deixa muito a desejar. O PROCON estadual identificou, além dos atrasos das barcas, condições pouco seguras durante as viagens como sala de máquinas abertas e desnível perigoso entre as barcas e as plataformas.

Se a AGETRANSP não aumentar as passagens para R$10,00 ou para R$7,70 que segundo a empresa é o custo operacional das barcas, a CCR entregará a concessão de volta para o governo do estado. Esta chantagem da CCR ocorre há poucos dias que a mesma empresa perdeu a concessão da Ponte Rio Niterói. Este monopólio do ir e vir entre estas duas cidades está com seus lucros questionados e agora quer colocar a conta nos usuários vendo se chega a algum acordo com o governo Pezão. Como herdeiro do governo Cabral, esta possibilidade é muito provável. Só a mobilização da juventude e dos trabalhadores, como em 2013, pode barrar este novo absurdo e abusivo aumento no Rio.




Tópicos relacionados

Rio de Janeiro   /    Sociedade   /    Transporte   /    Rio de Janeiro

Comentários

Comentar