Sociedade

CRIME AMBIENTAL

Ricardo Salles curte litoral paulista enquanto vazamento de petróleo avança sobre Abrolhos

segunda-feira 4 de novembro| Edição do dia

O óleo do vazamento no nordeste continua avançando pelo litoral brasileiro sem absolutamente nenhuma medida de contenção do governo do Bolsonaro, que está mais preocupado com a venda do Pre-sal e de todo o petróleo brasileiro para o capital estrangeiro.

E enquanto mais um crime ambiental avança, com a oposição da população organizada, barcos de pesca e inclusive a Marinha para tentar conter o avanço da mancha de petróleo, o ministro do Meio Ambiente Ricardo Sales decidiu que o melhor nesse momento de emergência é tomar um descanso e curtir o litoral paulista. No final depois dos desastres de brumadinho e do dia do fogo na Amazônia, está mais que provado que acabar com o meio ambiente é política do governo de ultra direita.

Não é a primeira vez, no mês passado, Salles fazia turismo no Cristo Redentor, mostrando verdadeiramente (mais uma vez) o descaso do governo Bolsonaro com o meio ambiente. Salles esperou passar 41 dias para acionar o plano de contingência. E até o momento, marinha e governo não tem nenhuma resposta satisfatória sobre o que ocorreu realmente e que medidas tomar contra os criminosos. Isso mostra que não se importam.

Hoje o petróleo já afeta o Parque Nacional Marinho de Abrolhos no sul da Bahia e o ministro do Meio ambiente embaixo de um guarda-sol na Praia da Baleia no litoral paulista é o retrato do governo Bolsonaro, destruição e entrega das riquezas brasileiras dadas de mão beijada para o capital estrangeiro.

Leia também: O capitalismo destrói o planeta, destruamos o capitalismo




Tópicos relacionados

Vazamento de óleo no Nordeste   /    Ricardo Salles   /    Crime Ambiental    /    Ministério do Meio Ambiente   /    Governo Bolsonaro   /    Sociedade   /    Meio Ambiente

Comentários

Comentar