Sociedade

RECIFE

Polícia Militar reprime bandas no carnaval de Recife: "Chico Science não pode!"

O Carnaval acabou, e começam a circular denúncias de cantores e bandas sobre repressão policial e tentativas de censura da Polícia em shows em Recife (PE).

quinta-feira 27 de fevereiro| Edição do dia

A banda Janete Saiu Para Beber publicou em suas redes que enquanto tocava a música "Banditismo por uma Questão de Classe", de Chico Science e Nação Zumbi, a PM de um cerco separando artistas e público, ameaçando prender o vocalista do grupo. O show foi realizado dia 24 na Rua do Apolo, no Recife Antigo, região que concentrou diversos palcos de bandas alternativas.

"Chico Science não pode tocar" foi a justificativa da PM, segundo integrantes da banda. Segundo Canibal, vocalistas da banda Devotos, disse que após tocar a mesma música na região da Várzea (próximo à UFPE), na terça (25), a PM acionou a produção do show para dizer que se seguissem tocando "músicas desse tipo", o show seria forçosamente encerrado. Um dos trechos da música faz referência direta ao genocídio que a Polícia faz ao redor do país, com a juventude negra e pobre: "em cada morro uma história diferente e a polícia mata gente inocente"

Também na terça (25) o cantor China passou por situação similar. Dessa vez a justificativa da PM era que o horário de seu show tinha acabado e era necessário encerrar o show. Segundo a equipe do cantor, sei show deveria começar às 23h40, e por atrasos na programação geral do palco, começou apenas a 1h.

“Tivemos que cortar algumas músicas do repertório e enquanto China cantava a última música para deixar o palco a PM subiu para encerrar o show”, relata Pamella Gachido, empresária do artista.

A ação repressiva e de tentativa de censura da polícia mostra claramente o perigo que oferece às suas instituições o discurso nas músicas de Chico Science, artista conhecido por suas letras marcantes contra a polícia, a desigualdade social, e sobre a necessidade de organizar-se contra a realidade de sua época, que, de maneiras diferentes de hoje, é claro, mas também de muita repressão policial, e ataques à liberdades democráticas da população.

As letras de Chico Science são cantadas em diversos shows e blocos ao redor do carnaval de Recife, como uma marca de resistência ao genocídio policial e a desigualdade social.

Nitidamente aí também reside o avanço autoritário do Governo Bolsonaro. É necessária a mais ampla unidade de trabalhadores, mulheres, LGBT, negros para combatê-lo.




Tópicos relacionados

CARNAVAL 2020   /    Recife   /    Governo Bolsonaro   /    Sociedade   /    violência policial   /    Cultura   /    Juventude

Comentários

Comentar