Política

PRIVATIZAÇÃO DA PETROBRAS

Petrobras negocia a venda da maior descoberta desde o pré-sal

A negociação consiste na venda da participação em áreas para a exploração de óleo leve e gás natural, entregando assim concessões de áreas ricas no Sergipe, para avançar ainda mais na privatização da estatal.

terça-feira 18 de junho| Edição do dia

Imagem: Foto de Tânia Rêgo / Agência Brasil

Depois da determinação de uma privatização “express” de metade das refinarias do país, que foi decidida a partir de uma reunião fake, e também, após o anúncio da Caixa Econômica Federal de que irá vender suas ações da Petrobrás, prática da qual sabemos que será coordenada por instituições financeiras do imperialismo dos EUA, agora, a própria Petrobras está em fase de negociação pela venda de sua participação nas áreas em que foi descoberto grande volume de óleo leve de excelente qualidade e um relevante volume de gás natural.

A empresa irá entregar quatro concessões na região de Sergipe, as quais foram descobertas contendo grande quantidade de gás natural, podendo equivaler uma produção 4 vezes maior que o consumo da região. Essa descoberta foi considerada a mais importante desde o pré-sal. Apesar da venda das concessões, a operação continuará sendo mantida pela Petrobras.

A justificativa mentirosa para tal ação seria porque a empresa está em um processo de desinvestimento, focando sua atuação no pré-sal da região Sudeste do país, logo, a exploração nesses locais descobertos no Sergipe, não comprometeria o orçamento e nem geraria mais dívidas à empresa. Entretanto, como se vê a cada ação dada, a cada passo estrategicamente realizado, tendo em vista o golpe institucional, a Petrobras é a estatal brasileira mais almejada pelo imperialismo, portanto sua entrega faz parte das obrigações que o governo atual de Jair Bolsonaro (PSL), submisso ao imperialismo norte-americano, tem de concluir para o aprofundamento dos ataques e entrega de tudo aquilo que deveria retornar à população, com objetivo de desviar o máximo possível para o pagamento de uma fraudulenta e ilegítima dívida pública.

Veja aqui: 5 anos da Lava Jato: golpismo, autoritarismo e submissão ao imperialismo

A estatal já divulga que aguarda por uma grande “sócia”, com experiência em projetos com complexidade geológica e de grande porte, ou seja, já sinaliza que o “entreguismo” será para alguma grande petroleira do imperialismo, como Shell, Total, Repsol, Chevron, BP e a ExxonMobil, onde está última tem sinalizado grande interesse em tomar para si as concessões já que possui investimento em áreas próximas que foram adquiridas em leilões.

O petróleo é um patrimônio que poderia estar a serviço da população. Para se garantir combustíveis baratos, segurança ambiental e laboral, é preciso lutar pelo petróleo e que seu refino e distribuição sejam estatais, geridos pelos trabalhadores e com controle popular, não deixando assim um recurso como esse a serviço da corrupção e do enriquecimento dos grandes capitalistas, àqueles que deveriam, na verdade, pagar pelas suas próprias crises.




Tópicos relacionados

Governo Bolsonaro   /    Petrobras   /    Privatização da Petrobras   /    Política

Comentários

Comentar