Sociedade

URGENTE - REPRESSÃO EM SP

PM reprime brutalmente ato contra o aumento das passagens em SP

sexta-feira 8 de janeiro de 2016| Edição do dia

No primeiro dia de protestos em todo o país contra o aumento das passagens, a polícia militar de Alckmin mostrou que pretende reprimir brutalmente o movimento para tentar impedir uma nova vitória do movimento, após o triunfo dos secundaristas contra o fechamento das escolas.

Desde antes das 17h os helicópteros já sobrevoavam a região do Theatro Municipal, enquanto um grupo do batalhão de choque preparava a repressão violenta numa rua lateral.

Os vários milhares de manifestantes iniciaram seu percurso, passando por trás do Theatro, descendo para o vale do Anhangabaú e seguindo em direção à Av 23 de Maio. Antes de chegar à avenida, no entanto, a repressão violenta, com bombas, balas de borracha e cacetes, impediu a continuidade do ato.

Nas horas seguintes a polícia continuando perseguindo os manifestantes nas ruas da região do centro e nas vias de acesso à avenida Paulista. Alguns setores radicalizados quebraram ônibus e latas de lixo, questão que uma parte da mídia burguesa tentou utilizar para diminuir a importância e legitimidade do protesto.

Sem muito sucesso, ao que tudo indica, pois setores cada vez maiores da população já começam a saber onde está o verdadeiro inimigo: a repressão policial, cuja violência está a serviço apenas de uma ínfima minoria, no caso os beneficiários da máfia dos transportes e dos esquemas de corrupção envolvendo os governos.




Tópicos relacionados

Sociedade   /    Transporte   /    Aumento da Passagem   /    São Paulo (capital)

Comentários

Comentar