Política

ELEIÇÕES

PC do B se alia a partidos golpistas nas eleições municipais

PCdoB se alia com golpistas, como PSDB, para eleições municipais em diversas cidades.

segunda-feira 1º de agosto de 2016| Edição do dia

Aliado histórico dos petistas, o PC do B vai abandonar o discurso do ‘’golpe’’ e apoiar nas eleições pelo país, candidatos da base do presidente golpista Michel Temer, como o PSB e até mesmo o PSDB. Em Teresina (PI), o PC do B endossa a reeleição do prefeito Firmino Filho (PSDB), que concorrerá contra o deputado estadual Dr. Pessoa (PSD) e o jornalista Amadeu Campos (PTB).

Aliado da família Calheiros em Alagoas, governada por Renan Filho (PMDB), O PC do B vai apoiar o peemedebista Cícero Almeida em Maceió (AL). O deputado federal votou em defesa do golpe institucional. De acordo com a Presidente nacional do PCdoB, a deputada federal Luciana Santos: ‘’em uma eleição municipal, a realidade local pode se sobrepor’’ e ‘’Se fosse só apoiar quem foi contra o impeachment, sobrariam o PT, uma parte do PDT e o PSOL. É um arco muito restrito".

O PC do B vai lançar candidatos próprios em três capitais, menos do que nas eleições de 2012. Ao contrário da eleição anterior, apenas Edvaldo Nogueira (Aracaju) e Alice Portugal (Salvador) vão para as urnas com uma ampla aliança. Na capital sergipana, o candidato terá o apoio do governador Jackson Barreto (PMDB).

PC do B no alto de sua degeneração stalinista

O PC do B é adepto de que se tem que aliar com setores da burguesia para supostamente cumprir etapas democráticas no país, antes da revolução. Ao elaborar esta teoria, o PC do B assume compromissos diversos com vários setores da burguesia, na qual acaba cumprindo um papel de freio em qualquer luta que os trabalhadores protagonizam. Ao mesmo tempo em que faz aliança com a burguesia, cada vez mais acaba se degenerando.

A degeneração do PCdoB chega a tal nível, que pra este partido é aceitável assumir compromissos com a ala que acabou de encabeçar o golpe institucional. Os mesmos golpistas que fizeram esta manobra reacionária para poder dar uma guinada a direita na superestrutura no país, abrindo um espaço para poder passar brutais ataques contra a classe trabalhadora e demais setores populares da sociedade.

Para o PCdoB é possível que se consiga alguma coisa com os golpistas. Talvez com os ataques que a turma do Michel Temer está organizando, talvez seja possível que caia algumas migalhas para os trabalhadores e este resto seja pintado com um verniz de concessão democrática. Esta visão Social Liberal do PCdoB faz com que este partido não seja a saída para os trabalhadores, pois as alianças que este partido faz com os golpistas, apenas fortalecem aos próprios golpistas.

Ao contrário do PCdoB, para nós do Movimento Revolucionário dos Trabalhadores é um principio manter a nossa independência de classe durante as eleições. A candidatura da Diana Assunção em São Paulo, assim como a pré-candidatura de Danilo Magrão em Campinas, Carolina Cacau no Rio de Janeiro, Maíra em Santo Andre e também Flavia Valle em Contagem não tem apoio das grandes empresas, muito menos dos partidos burgueses.

Achamos de extrema importância utilizar estas candidaturas para poder impulsionar a luta dos trabalhadores, principalmente os atos pelo FORA TEMER. E também para denunciar os golpistas e os ataques contra os trabalhadores que estão planejando. Neste sentido, a independência de classe é de extrema importância.




Tópicos relacionados

Eleições 2016   /    Política

Comentários

Comentar