Mundo Operário

7° CONGRESSO DOS TRABALHADORES DA USP

Ocorreu a mesa "Combate às opressões", no 7° Congresso dos Trabalhadores da USP

quinta-feira 5 de setembro| Edição do dia

Hoje, quinta-feira, no quarto dia do 7° Congresso dos Trabalhadores da USP, aconteceu a mesa "Combate às Opressões". A mesa contava com diversos representantes de movimentos e organizações de combate à opressão. Dentre eles: Ana Pagu, do Movimento Mulheres em Luta; Sérgio Kadoto, professor da USP e da FFLCRP; Jupiara Castro, da Fasubra; Luiz, do Núcleo Anarquista dos trabalhadores da USP e Odete Cristina, militante pelas agrupações Quilombo Vermelho, Pão e Rosas e do MRT.

Esse Congresso se dá em meio ao governo de extrema direita de Bolsonaro, que legítima através de suas políticas reacionárias e de suas declarações misóginas, racistas e homofóbicas as diversas opressões que são reproduzidas todos os dias e que tomam um rumo cada vez mais brutal. Não a toa, na mesma semana em que ocorre o Congresso, houve um gravíssimo caso de racismo e de extrema agressão cometida por seguranças a um jovem negro, num supermercado, mediante um avanço de um ataque que visa esmagar a vida dos trabalhadores, sobretudo das mulheres, negros e LGBTs, que é a Reforma da Previdência. Por isso, a discussão sobre esse tema é fundamental para a classe trabalhadora e é nescessário uma levantar uma perspectiva que atrele essa discussão a um questionamento mais profundo sobre o sistema de exploração em que vivemos e que impõe essas opressões.

Segue, abaixo a intervenção de Odete, estudante de Ciências Sociais da USP e debatedora da mesa:




Tópicos relacionados

7º Congresso dos Trabalhadores da USP   /    Mulheres   /    Machismo   /    USP   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar