Política

GUERRA ÀS DROGAS

Obscurantismo do governo Bolsonaro retira do ar site com banco de dados sobre drogas

O site do Observatório Brasileiro de Informações sobre Drogas (Obid) responsável por gerir e disseminar informações científicas sobre drogas foi retirado do ar pelo governo de Jair Bolsonaro.

terça-feira 4 de junho| Edição do dia

O único bando de dados oficial que reunia informações e dados estatísticos de pesquisas científicas sobre drogas – Observatório Brasileiro de Informações sobre Drogas- foi retirado do ar pelo governo Bolsonaro. O portal foi criado em 2002 e tinha por objetivo disseminar informações confiáveis sobre esse importante e polêmico tema que são as drogas.

O site do Obid foi transferido do Ministério da Justiça para a pasta da Cidadania - que tem como ministro Osmar Terra (MDB) - no começo de janeiro. Desde então a plataforma não está disponível para acesso. O ministério alega que o portal está sendo atualizado e por isso não está online. Entretanto, vale lembrar que Osmar Terra (MDB) declarou recentemente que esses tipos de estudos “não têm validade científica”, pois “tem um viés ideológico de liberação das drogas”. Essa declaração foi dada diante do escândalo que veio a tona por conta da censura de uma importante pesquisa que foi realizada há mais de dois anos pela Fundação Oswaldo Cruz – ainda no governo golpista de Temer - e que foi publicada nessa semana pela Intercept Brasil. Tratou-se da maior e mais completa de pesquisa relacionada ao consumo de drogas já feita em nosso país.

A censura da pesquisa da Fundação Oswaldo Cruz assim como a retirada do ar do site do Observatório Brasileiro de Informações sobre Drogas são expressões do caráter ultrarreacionário do governo Bolsonaro. E não é de hoje que Osmar Terra é um representante convicto da moral conservadora. Quando deputado, Osmar Terra, foi autor de um projeto de lei que visava o endurecimento das punições no que remete o consumo de drogas. Foi também defensor assíduo da internação compulsória dos dependentes químicos. Ademais do aumento dos leitos em comunidades terapêuticas - versões modernas de manicômios - que estão em grande medida ligadas as Igrejas Evangélicas. Revelando as suas raízes e com quais setores está realmente comprometido.

Segue abaixo dois links sobre esse importante debate:

“Guerra às drogas, encarceramento e repressão policial: o que muda no governo racista de Bolsonaro?”

“Marcha da Maconha em São Paulo reúne dezenas de milhares de jovens pela legalização”




Tópicos relacionados

Governo Bolsonaro   /    Guerra às Drogas   /    Drogas   /    Política

Comentários

Comentar