×

Eleições de Pernambuco | O novo vice de Marília Arraes

Após sair do PT criticando as alianças locais do partido com o PSB, que fez inclusive com que boicotassem sua candidatura local, vem repetindo a mesma prática. Agora candidata pelo Solidariedade, mesmo partido do golpista Paulinho da Força, busca aliados na direita tradicional que estava coligada ao PSB até pouco tempo.

terça-feira 21 de junho | Edição do dia

A chapa da candidata a governadora Marília Arraes, ex petista atualmente no Solidariedade, foi a primeira a ficar completa no estado. O vice da governadora será o deputado federal Sebastião Oliveira do Avante. O deputado fazia parte dos governos do PSB no estado e na prefeitura do Recife até sexta, quando largou os cargos. Mas seu histórico não para por aí.

Sebastião iniciou sua carreira política no PFL, partido herdeiro do antigo ARENA da ditadura. Migrou então para o PL, partido de Bolsonaro, ficando até 2020, quando foi para o Avante.

Essa trajetória política não é à toa. Seguindo a tradição das oligarquias locais, Sebastião foi impulsionado na política por seu tio, Inocêncio de Oliveira. Irmão do prefeito de Serra Talhada, cidade do sertão pernambucano, começou sua carreira no ARENA, sendo Deputado Federal. Após ser impulsionado na política pelo irmão, resolveu impulsionar o sobrinho Sebastião pelo então PFL. Uma história típica das oligarquias estaduais. Mas não para por aí. Inocêncio foi condenado por trabalho escravo em sua fazenda em Gonçalves Dias, no interior do Maranhão, após ação aberta em 2002.

Enquanto o tio se envolvia em trabalho escravo, Sebastião votava medidas que também atacavam os trabalhadores. Quando foi Deputado Federal, votou a favor da Reforma da Previdência e se posicionou a favor da Reforma Administrativa e da proposta de Bolsonaro e Guedes de Reforma Tributária

Um pouco antes disso, se envolvia em denúncias de desvio de recursos de obras da BR-101 quando foi secretário de transportes no primeiro mandato de Paulo Câmara. Vale ressaltar que seu patrimônio pulou de 188mil em 2006 para quase 1,4 milhão em 2018.

Se isso não é o suficiente para mostrar o caráter reacionário do vice escolhido por Marília, vale ver o que é seu partido, o Avante. O partido está lançando como candidato o reacionário André Janones, que se fez a partir de um fenômeno de redes sociais. Em 2018, apesar de nunca ter sido caminhoneiro, se proclamou uma liderança do movimento de locaute dos caminhoneiros que ocorreu em 2018, se aproveitando da onda bolsonarista – vale lembrar que o atual presidente nessa época era fortemente ligado às associações patronais que estavam a frente do movimento, basta ver que um de seus maiores apoiadores até hoje é Zé Trovão, que é ligado a essas patronais

Além de Janones, o Avante também é o abrigo do Sargento Isidório. O policial militar aposentado se diz “ex-gay” e é um célebre defensor do projeto reacionário da cura gay. Durante as eleições em 2018, alegou que quase não votou em Haddad pois “não iria votar em viados”. Para piorar, o sargento é dono da Fundação Dr. Jesus, “comunidade terapêutica” para dependentes químicos acusada de práticas de tortura.

Para os pernambucanos que, fartos desse governo do PSB, achavam que Marília poderia ser uma opção de esquerda ao mesmo, as recentes alianças dela já apontam o caminho que a mesma pretende seguir...




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias