×

Miséria capitalista | O capitalismo não funciona! Desigualdade aumenta no mundo e Brasil de Bolsonaro lidera

Desigualdade vem crescendo no mundo, enquanto burgueses ficam cada vez mais ricos. Brasil do Bolsonaro é "campeão" nesse quesito, sendo o país que mais teve aumento da desigualdade na pandemia. De acordo com pesquisa feita pelo Centro de Políticas Sociais da Fundação Getulio Vargas (FGV Social), com dados internacionais do Gallup World Poll, que mostra a percepção da população em relação às políticas públicas de saúde, educação e meio ambiente, o desempenho brasileiro nas três esferas foi pior do que o de outros 40 países.

quarta-feira 13 de outubro | Edição do dia

Favela de Paraisópolis, em São Paulo (Foto: Reprodução/Facebook)

Colhidos antes e depois da pandemia, os dados também demonstram que a deterioração social brasileira foi mais forte entre a população de renda mais baixa.

Veja mais: Capitalismo precisa acabar! Mais de 24,5 milhões não sabem se comerão durante o dia no Brasil

Na educação, a satisfação dos 40% mais pobres caiu 22% no Brasil e 2,38% no mundo. Esse porcentual reflete a piora de dados educacionais na prática. O tempo médio de estudo diário na população de 6 a 15 anos caiu para 2 horas e 18 minutos, enquanto o mínimo legal é de 4 horas.

Veja também: Com salário de R$78.000, desembargador mantém mãe presa por roubar R$21,00 em alimento

No país da fome, Cozinha Solidária da Azenha é fechada pela Polícia Federal

Entre os mais pobres, esse tempo ficou abaixo de 2 horas, e nas classes A e B ficou acima de 3 horas, o que aumenta o abismo social. As escolas ficaram fechadas mais no Brasil do que no restante do mundo. Isso sem contar que muitas crianças deixaram de estudar porque não tinham celular ou computador disponível e porque as apostilas não chegavam até elas.

Veja mais: 12 de outubro: 9,1 mi de crianças vivem em extrema pobreza, passando fome no dia das crianças

Na saúde, houve queda de 10,5% entre os brasileiros mais pobres e alta de 2,28% na média dos demais países. A situação se inverte entre os 40% mais ricos. No Brasil, a satisfação dessa faixa da população subiu 0,5%; nos demais países caiu 0,08%. Em relação às políticas ambientais, houve piora em todas as faixas de renda, enquanto a percepção no resto do mundo foi menos pior.


Fonte: Estadão/FGV Social com dados da Gallup World Poll

Além disso, as matrículas escolares recuaram ao menor patamar desde 2007, o que terá consequências no futuro, no aprendizado e na produtividade do trabalhador, que já estava estagnada há algum tempo.

No Brasil, o PIB per capita é o mesmo de dez anos atrás. Houve uma queda 45% em 20 anos, quando pensado o PIB em dólares, e em termos globais a população ficou mais pobre.

Segundo o presidente do Banco Mundial, David Malpass, a renda mediana por capita para economias avançadas vem crescendo 5% em 2021, mas para países pobres o avanço é apenas de 0,5%.

Relembre: Bolsonaro é contra taxar grandes fortunas: “Dividir riqueza e renda? É crime ser rico?”

Malpass lembrou que, em 2020, a dívida de países pobres subiu 12%, alcançando US$ 860 bilhões.

Áudio diário de 5 minutos | 13/10 - Fome: fila do lixo em BH para conseguir comida:

Com informações de Estadão




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias