Internacional

NICOLÁS DEL CAÑO NO CHILE

Nicolás del Caño se reúne com estudantes secundaristas reprimidos nas mobilizações no Chile

Em visita ao Chile, hoje de manhã esteve no Liceu 7 de Santiago, onde estudantes secundaristas foram brutalmente reprimidos e agora ocupam o estabelecimento.

sexta-feira 8 de novembro| Edição do dia

Nesta semana, Nicolás del Caño, deputado e ex-candidato da FIT-Unidade nas últimas eleições presidenciais da Argentina, viajou ao Chile para prestar solidariedade e apoio aos jovens e trabalhadores que estão protagonizando a histórica luta contra Piñera e o regime pinochetista.

Um dos objetivos de sua visita é denunciar fortemente a brutal repressão, torturas, assédios e todo tipo de violações aos direitos fundamentais dos que estão nas ruas lutando desde 18 de outubro. As denúncias são contra os Carabineros de Chile, que atua sob as ordens de Piñera, um permanente apoiador destas ações que são parte da herança pinochetista.

Nesse marco, Del Caño se encontrou com organizações de direitos humanos. Acompanhado de referentes do Partido de Trabalhadores Revolucionários (PTR, organização irmã do MRT no Chile), reuniu-se com funcionários da Cruz Vermelha do Chile. Neste encontro, receberam um informe que expressa a violação dos direitos humanos por parte do governo de Piñera. O órgão indica registros aproximados de 2200 pessoas feridas nas últimas semanas. Também se reuniram com os órgãos de Direitos Humanos que atuam na casa de memória José Domingo Cañas, um antigo centro clandestino de detenção e tortura durante a ditadura.

Hoje (9) de manhã, Del Caño esteve no Liceu 7 de Santiago, onde os estudantes secundaristas dão um exemplo de luta. Por terem ocupado o estabelecimento, foram brutalmente reprimidos, com a autorização da diretora da escola.

No tweet de Nicolás del Caño, ele diz: Uma mensagem dos estudantes do Liceu 7 em Santiago à juventude argentina. Há dois dias, os Carabineros de Chile entraram em seu colégio disparando balas e ferindo duas alunas com 16 tiros. Hoje, seguem ocupando seu colégio e tornaram-se um exemplo de luta pelo #forapiñera.

Desde a ocupação do Liceu, os estudantes enviaram uma mensagem a seus companheiros na Argentina, porque é urgente ampliar a denúncia à repressão e o apoio à sua luta e à rebelião popular.

A repressão dos Carabineros dentro do Liceu gerou comoção quando foram divulgadas as imagens de garotas correndo no pátio do estabelecimento para escapar dos disparos. Duas delas foram atingidas por balas de borracha disparadas pelos Carabineros, que entraram no Liceu com a autorização da diretora, buscando calar com balas as crescentes mobilizações dentro do colégio.

O autor dos disparos, um coronel dos Carabineros, nesta quarta-feira foi sentenciado à prisão domiciliar noturna e proibido de aproximar-se do Liceu. Obviamente, não é suficiente, mas uma prova da impunidade que legitima essas ações.

A Coordenação dos Estudantes Secundaristas do Chile (CONES) declarou que está pedindo a renúncia da diretora do Liceu e do prefeito de Santiago, Felipe Alessandri.




Tópicos relacionados

Luta de Classes   /    Nicolás del Caño    /    Chile   /    Internacional

Comentários

Comentar