JUSTIÇA PARA DAUNTE WRIGHT

Não é só uma "maçã podre": outro homem negro foi assassinado no subúrbio de Minneapolis

A polícia de Minessota atirou e matou Daunte Wright na tarde do último domingo. Como manifestantes se reuniram para protestar, a polícia atirou contra ele com balas de borracha. Não existe reformar a polícia racista e assassina.

segunda-feira 12 de abril| Edição do dia

Imagem: Kim Hayat

nota: esse artigo será atualizado à medida que informações forem divulgadas

Na tarde de domingo (11), Daunte Wright foi morto por um policial e foi deixado na rua durante horas no Brooklyn Center, subúrbio de Minneapolis. Wright, 20 anos, estava em seu carro quando foi parado pela polícia. Alguns minutos depois o oficial de polícia atirou e o matou, logo a poucas milhas de onde Eric Chauvin estrangulou George Floyd até a morte. Esse é o mais recente de uma longa série de assassinatos contra pessoas negras e latinas - especialmente contra negros - cometidos pela polícia.

Manifestantes se reuniram quase imediatamente para expressar sua fúria tanto no assassinato de Duante Wright quanto nos problemas recorrentes da violência racista da polícia. Os policiais responderam violentamente, chegaram com equipamentos para repressão e atirando balas de borracha contra a multidão, ferindo pelo menos um manifestante. No momento que este artigo foi escrito os protestos continuava, e parecia que iam seguir noite adentro, como chamado a todos para saírem às ruas na areas das duas cidades.

Os manifestantes exigem justiça para Wright e a imediata liberação da câmera de corpo dos policiais envolvidos.

Policial atrás de policial, no julgamento de Eric Chauvin, toma a posição de pintar o assassinato de George Floyd como resultado de uma “maçã podre”, o assassinato de Wright mostra que a questão da violência policial não é sobre esse ou aquele preconceituoso dentro das forças policiais e que aquelas maçãs podres precisam se enraizar. Certamente, existem vários policiais preconceituosos nas forças policiais - mas o problema é a natureza da estrutura da policial e o papel dos policiais que é de proteção da propriedade privada, o estado capitalista e a opressão racial inerente ao capitalismo.

A morte de Wright mostra que o ressurgimento do Black Lives Matter é profundamente necessário e o BLM deve se juntar à classe trabalhadora, à esquerda e aos trabalhadores organizados para lutar contra o estado capitalista e a polícia que o protege. Daunte Wright está morto; vamos homenageá-lo por lutar contra o estado que o assassinou.




Tópicos relacionados

Racismo de Estado   /    Racismo Policial   /    #BlackLivesMatter   /    Black Lives Matter   /    Racismo   /    Black Power   /    Racismo EUA   /    [email protected]   /    Internacional

Comentários

Comentar