Política

AUXÍLIO EMERGENCIAL

Na madrugada mais fria do Rio de Janeiro, trabalhadores dormem na rua para conseguir auxílio emergencial

Apesar das temperaturas mais baixas que a média da cidade, pessoas se aglomeravam em filas de banco durante a madrugada para conseguir garantir o auxílio emergencial e não morrer de fome.

segunda-feira 3 de agosto| Edição do dia

Beneficiários do auxílio emergencial passam a noite mais fria do Rio de Janeiro em filas para conseguir receber os seus valores. O registro foi realizado depois que a região de Bangu (Zona Oeste do Rio de Janeiro) marcou a temperatura de 12,1°C na madrugada de 03/07 com uma fila de pessoas aguardando a liberação da quantia de de R$600.

Demitidos para manter os lucros das empresas enfrentam essas condições para sobreviver às condições de descaso impostas pelo governo e que foram aceleradas pelo Covid-19, os trabalhadores tem de dormir na rua, se expondo ao vírus e ao frio para conseguir sacar o auxílio e garantirem que não vão morrer de fome.

Cenas como essa não são incomuns, já tendo sido inclusive denunciado aqui no diário. São mais uma prova que o capitalismo nos tem nos oferecer a escolhe entre morrer de fome, ou de coronavírus.




Tópicos relacionados

Auxílio emergencial   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar