Mundo Operário

RIO DE JANEIRO

"Mulheres com filhos passando fome e sendo despejadas": Paes não paga merendeiras há 4 meses

terça-feira 13 de abril| Edição do dia

As merendeiras das escolas municipais do Rio de Janeiro estão sem receber há 4 meses. Enquanto as merendeiras das poucas escolas que reabriram receberam, a grande maioria da categoria não recebe seus salários há 4 meses.

As merendeiras das escolas municipais do Rio são contratadas por várias empresas, uma delas a terceirizada PRM, que ainda tem contratos milionários com a prefeitura , presta serviço à prefeitura de Eduardo Paes. A empresa e Eduardo Paes fazem jogo de empurra enquanto estas funcionárias das escolas municipais, por serem terceirizadas, tem seus direitos atacados e ficam abandonadas. O Esquerda Diário recebeu diversos relatos destas trabalhadoras:

"O motivo da minha denúncia, sou funcionária da PRM, estou há quatro meses sem salário, cinco meses sem ticket alimentação. Meu último salário foi os 70% do governo, e os 30% de janeiro, da firma, nada. A gente pede ajuda."

Tem muitas mulheres com seus filhos passando fome e sendo despejadas, por favor nos ajude, estamos pedindo socorro.

"Não tenho dinheiro nem para comprar pão"

"Enquanto isso estamos passando dificuldades terríveis, sem uma satisfação, sem respeito e prestes a perder a dignidade já que muitas estão sendo despejadas de suas casas."

Eduardo Paes e PRM fazem jogo de empurra, como denunciou outra merendeira:

"Sou funcionária da empresa PRM, que presta serviços para a prefeitura. Sou manipuladora de alimentos (merendeira). Estamos sem receber o ticket de alimentação desde dezembro de 2020, e não recebemos os 30% do mês de dezembro. Até hoje estamos sem pagamentos e sem ticket. a empresa fala que a prefeitura não está fazendo repasses e a prefeitura informa que a empresa está com contrato suspenso, por isso não vai pagar nada. Nós trabalhadores ficamos nessa situação, sem direito a nada, e, pra completar, a empresa escolheu metade dos funcionários para voltar pois a prefeitura optou por essa opção. Estamos lascados e não sabemos o que fazer e nem a quem recorrer."

"O supervisor disse que a prefeitura só fez o repasse para metade das merendeiras, coisa que eu não acredito, pois isso não existe. Se eles renovaram o contrato, tem que ser pago para todas."

Um absurdo que estas funcionárias, sem as quais a escola não funciona, sejam tratadas assim pela empresa PRM e por Eduardo Paes. É mais uma demonstração de que a terceirização veio para atacar o direitos dos trabalhadores. Enquanto garante altos salários para funcionários em cargos comissionados, Eduardo Paes corta das merendeiras, justamente enquanto adota um discurso de abertura das escolas à qualquer custo.

O que não falta na prefeitura do Rio, de Paes, são meios de pagar estes salários. Mas estes meios, Paes, separou todos para atender aos interesses de empresários que estavam por trás de sua campanha, os mesmos que sempre o financiaram. Paes quer que os trabalhadores paguem crise, mas a prefeitura tem a obrigação de pagar todos estes salários, afinal são nas escolas municipais que as merendeiras trabalham, ou seja, são funcionárias da prefeitura por mais que este esteja lavando suas mãos. E da mesma maneira a empresa é responsável. A empresa tem contratos milionários vigentes e coloca trabalhadoras a passarem necessidade, terem suas geladeiras vazias. Seria importante abrir os livros de contabilidade da PRM para todos os trabalhadores verem a verdade acerca dos repasses da prefeitura e tirarem suas próprias conclusões, mostrando quanto é pago para os funcionários do alto escalão, supervisores e diretores da empresa.

O Sindicato dos professores do Município, o SEPE, deveria estar impulsionando o apoio à estas trabalhadores, tão importante nas escolsa municipais quanto os professores e outros profissionais da educação, apesar da divisão entre efetivos e terceirizados. Paes também ataca a aposentadoria dos professores, e é com as merendeiras que os professores e as professores devem se unir.

Pelo imediato pagamento dos salários das merendeiras! Paes e a PRM são responsáveis!

💬 Quer noticiar a mobilização em seu local de trabalho, denunciar a situação em seu trabalho? Mande seu relato para +55 11 97750-9596

E siga o Esquerda Diário nas redes e plataformas de streaming!

Ouça e compartilhe o Podcast Peão 4.0!
Todos os dias, ouça a realidade contada a partir dos trabalhadores em 5 minutos!




Tópicos relacionados

Merendeiras   /    Eduardo Paes   /    Rio de Janeiro   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar