Negr@s

ATO

Milhares nas ruas em SP por Moa do Katendê, faremos das lágrimas revolta

domingo 14 de outubro de 2018| Edição do dia

Mais de mil pessoas tomaram ruas do centro de São Paulo para um ato-cortejo em homenagem a Moa do Katendê. O ato contou com grande presença do movimento negro, de capoeiristas, trabalhadores, negros e negras indignados com este bárbaro crime, o primeiro assassinato do movimento bolsonarista que levou a vida de um representante da luta anti-racista.

Que o primeiro morto pelas mãos de um bolsonarista seja uma liderança negra escancara ainda mais como o ascesão de Bolsonaro será mais cruel e duramente sentida pelo povo negro. A burguesia brasileira é entreguista ao imperialismo e escravocrata, o programa do Bolsonaro de aumentar a exploração dos trabalhadores e trucidar até mesmo o 13º salário tem seu complemento necessário na raivosa ideologia da Casa Grande e seus chicotes.

Veja algumas fotos do ato em São Paulo:

No ato de hoje também foi lembrado os 7 meses do assassinato da vereadora negra e de esquerda, Marielle Franco do PSOL. Em momento emotivo no ato foram trocadas placas de rua pelos nomes de Marielle e Moa.

Odete Cristina, da juventude Faísca, presente no ato lembrou o assassinato de Marielle e opinou ao Esquerda Diário como a juventude pode se organizar para colocar em movimento as forças para derrotar o golpismo, a extrema direita e todas as reformas:

O emotivo ato de hoje lembra as raízes ceifadas pelas facadas que vieram do discurso de Bolsonaro. Precisamos fazer de cada lágrima derramada a revolta. Para isso é preciso construir milhares de comitês de base em cada local de trabalho e estudo para derrotar a extrema direita, como opina em vídeo publicado abaixo Marcello Pablito, membro da Secretários de Negros e Negras do Sindicato dos trabalhadores da USP:

Para derrotar a extrema-direita e os desejos escravistas da burguesia que se alinhou detrás de Bolsonaro não será suficiente uma estratégia meramente eleitoralista como faz o PT, uma estratégia impotente diante de uma burguesia golpista que manipulou estas eleições. O Esquerda Diário acompanha aqueles que querem derrotar Haddad nas urnas, votando criticamente, mas alertando como a conciliação petista abriu caminho à direita e é preciso recuperar os sindicatos das mãos da burocracia sindical para que possamos avançar no único terreno onde poderemos parar a mão dos senhores de engenho moderno e seus capitães do mato e jagunços, a luta de classes.

Pode te interessar ler a declaração do MRT frente ao segundo turno




Tópicos relacionados

Extrema-direita   /    Eleições 2018   /    Jair Bolsonaro   /    Golpe institucional   /    Racismo   /    São Paulo (capital)   /    Negr@s

Comentários

Comentar