×

ATAQUES DE ISRAEL À PALESTINA | Milhares de judeus e árabes marcham em Tel Aviv contra ataques aos territórios palestinos

Foi nesta noite de sábado em um show de rechaço à política do governo israelense contra os palestinos.

domingo 23 de maio | Edição do dia

Os manifestantes também exigiram que o governo tome medidas imediatas para acabar com a ocupação israelense da Cisjordânia.

A marcha massiva foi organizada pelos movimentos "Unidos" e "Quebrando o Silêncio". Saiu da Praça Rabin em Tel Aviv e se dirigiu para a Praça Habima.

Os oradores incluíram o conhecido romancista israelense e ativista de esquerda David Grossman, o autor ʻAwdah Bishārāt, o líder da Lista Conjunta Ayman Odeh e MK Tamar Zandberg (Meretz).

“Ouço políticos e oficiais de segurança falando sobre outra rodada de combates em alguns meses ou anos, sem ver os 7 milhões de palestinos que vivem entre o rio [Jordão] e o mar [Mediterrâneo]”, disse Odeh. "Estes últimos dias nos mostraram como a vida pode ser neste país: um pesadelo", acrescentou Zandberg.

Os organizadores da manifestação concentraram as demandas contra o governo do primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu. O atual governo radicalizou a política contra a população palestina, mas tem sido uma constante desde a fundação do Estado de Israel com a ocupação dos territórios palestinos, repressão e racismo.

A manifestação tem como fato significativo a unidade entre a população judaica e árabe em uma das principais cidades de Israel. Ocorre depois de outro evento muito importante, na terça-feira milhares de palestinos realizaram uma greve histórica contra a ofensiva brutal e também contra os ataques a palestinos e à população árabe na Cisjordânia, Jerusalém Oriental e cidades mistas de Israel, impulsionados especialmente por jovens palestinos dos diferentes territórios que enfrentam a ocupação, os bombardeios e a repressão ao colonialismo israelense na linha de frente.

Veja também: Entrevista com Moisés García: "Há uma nova geração palestina pronta para responder a Israel e seus aliados"

A manifestação ocorreu após o cessar-fogo na Faixa de Gaza, depois que ataques israelenses deixaram pelo menos 232 palestinos mortos, dezenas de milhares de desabrigados e centenas de prédios viraram pó.

Ver mais: Apoio de Biden à Israel: uma primeira experiência de massas com o novo líder do imperialismo




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias