Política

PRIVILÉGIOS

Mesmo com dinheiro de corrupção filha de Cunha reclama: ’não tenho cacife para comprar tudo que gostaria’

A quebra de sigilo de dados de Eduardo Cunha, revelou uma troca de e - mails entre o ex-presidente da Câmara com a Filha, a publicitária Danielle Dytz da Cunha. Na mensagem, a filha do ex - deputado envia uma lista de compra com seis intens ao pai: cremes, óculos, bolsa, video - game e roupas.

segunda-feira 5 de dezembro de 2016| Edição do dia

Danielle está sendo investigada pela Lava Jato pela posse de um cartão de crédito estrangeiro associado á offshore Kopek e recebido por ela. Esta empresa não é declarada ao Estado brasileiro e foi descoberta com a ajuda de investigadores suiço. De acordo com a Lava Jato, a offshore recebeu recursos da propina destinada a Eduardo Cunha no esquema de corrupção na Petrobrás.

Na mensagem identificada pela investigação, ás 16h42, de 20 de fevereiro de 2009, Danielle escreve para o seu pai “Oi Dad, mesmo eu indo viajar, infelizmente não tenho cacife para comprar tudo que eu gostaria. Fiz uma listinha do que eu gostaria que você trouxesse, e se puder agradeço muito. Veja claro o que não for te dar trabalho!”.

Enquanto fazem os trabalhadores paguarem pela crise econômica que o país está vivendo, os deputados esbanjam no dinheiro da corrupção recebido por conta de suas relações espúrias com os grandes empresários e banqueiros. O caso da filha de Eduardo Cunha é só uma mostra que estes senhores possuem muitos privilégios e tem uma vida totalmente distinta dos trabalhadores e demais setores populares da sociedade.

Para acabar com os privilégios e a corrupção dos políticos não é por meio da Lava Jato, mas sim através de uma assembléia constituinte livre e soberana imposta pela luta dos trabalhadores em conjunto com demais setores populares da sociedade que seja capaz de votar medidas que questione este regime podre e corrupto.




Tópicos relacionados

Operação Lava Jato   /    Eduardo Cunha   /    Política

Comentários

Comentar