OPINIÃO / MEDICINA DO CAPITAL / MAMOGRAFIA

Mamografia: um grande tema tabu na medicina dominante

Gilson Dantas

Brasília

quinta-feira 4 de julho| Edição do dia

O primeiro grande problema da medicina no Brasil é que ela não é pública, gratuita e accessível para o conjunto da família trabalhadora. O SUS encontra-se em franca decadência, a medicina opera como mercadoria e a obsessão incontornável dos donos de hospitais é a de impor a maior taxa de lucro possível.

A promoção sistemática da mamografia em escala de massa só pode ser entendida nesse contexto.

Mamografia tem menos a ver com saúde da mama e é muito mais o reflexo do grave problema da corrupção da própria medicina. Em função de vender seus produtos [medicamentos, equipamentos, hotelaria hospitalar etc] e acumular capital, a indústria da biópsia, dos medicamentos tóxicos, das cirurgias desnecessárias [a epidemia de cesáreas é só um exemplo], e também a indústria das imagens-diagnóstico que usam radiações ionizantes tudo isso e muito mais vem sendo imposto pelo complexo médico-industrial capitalista e seu Estado. Sem qualquer debate público: simplesmente imposição da medicocracia e seu Estado.

O exemplo da mamografia chega a ser brutal por conta do que a ciência já demonstrou a respeito dos seus danos à saúde da mulher. E, em especial, a conexão entre a mamografia e o câncer de tireoide e da própria mama.
Tudo isso é mantido a sete chaves.

O grande público não tem acesso a um debate que absolutamente lhe diz respeito.

O resultado final é que o câncer causado pela mamografia seja, na prática, um debate proibido.

Nos congressos médicos brasileiros nem pensar: não se questiona os danos da mamografia, um tipo de exame que cientistas de certos países já puseram sob questão abertamente.

No Brasil, a mais corajosa opinião médica, nos chega a partir de uma mulher corajosa que há anos denuncia os riscos cancerígenos da mamografia.

Você pode conferir sua linha de argumentação no vídeo abaixo, entendendo que se trata apenas de um pequeno “trailer” do programa onde a dra Lucy Kerr foi entrevistada. Se você quer assistir sua entrevista por inteiro, ela encontra-se na web [no link https://youtu.be/5tHZAyQOiSE
].
O programa é o Análise Direta, do RIT Notícias, intitulado “Previna-se do câncer e evite a mamografia”, publicado no dia 13 de junho passado.

Ali a dra Lucy Kerr desenvolve argumentos científicos que, se levados a sério pela medicina dominante, certamente a “popularidade médica” do RX de mama já teria sido abalada há muito tempo. Com menos sofrimento para as mulheres; algo que, no mínimo, deveria ser considerado, ao menos em nome do nobre princípio de que o primeiro dever do médico é não machucar o paciente.

https://youtu.be/Mc7l6JCv4IU

[Esta nota oferece argumentos ao livre debate. Não pretende – nem o Esquerda Diário pretende -, se constituir em qualquer tipo de aconselhamento ou orientação em relação a exames, inclusive a mamografia. O objetivo da nota, é pedagógico, informativo e de abertura de um urgentíssimo debate]




Tópicos relacionados

mamografia   /    medicina do capital

Comentários

Comentar