Educação

VOLTA ÁS AULAS SEM SEGURANÇA

Maíra Machado: Demétrio Magnoli ataca professores para volta às aulas em escolas que falta até sabão

O intelectual, que deu aula num longínquo 1978, não sabe quais são as condições sanitárias das escolas, onde faltam elementos básicos como papel higiênico e água potável. Ignora também que merendeiras e trabalhadoras da limpeza terceirizadas foram demitidas em massa no início da pandemia e que 35 mil professores estão sem receber salários em SP.

terça-feira 4 de agosto| Edição do dia

Imagem: Dagobah

No artigo da Folha de São Paulo, ele ainda afirma que os professores seriam recalcitrantes e que a não volta as aulas imediatamente mostraria o desprezo do país pela educação e pelos pobres. Ele fala isso do lugar de quem defende os políticos da ordem e os grandes empresários, estes sim, que não querem saber da vida da população. Veja o vídeo de resposta da professora Maíra Machado:

Demtério Magnoli não comenta nada dos 35 mil professores sem salários no Estado de São Paulo, nem das merendeiras e terceirizadas que foram demitidas logo do inicio da pandemia. Ao contrário do que afirma, professores não estão vagabundeando em casa, estão trabalhando de manhã, a tarde e a noite para atender pais e alunos. Famílias essas cujo desemprego atingiu em cheio, que perderam parentes e muitas delas estão passando fome.

Leia Mais: Polícia de Dória impede carreata de professores da rede estadual

Não vamos aceitar o retorno autoritário e inseguro das aulas. Quem tem que decidir pelo retorno são os alunos, professores e funcionários, que serão diretamente afetados pela medida. Não vamos abaixar a cabeça para quem vem do seu escritório como Demetrio, ou que vem do gabinete, como Dória e outros a decidirem quando as escolas voltarão a funcionar.

Leia Mais: Assista documentário sobre volta às aulas: "Educação na Pandemia - Presença da Ausência"




Tópicos relacionados

pandemia   /    Educação   /    Professores

Comentários

Comentar