Política

LAVA JATO

Lula, Palocci e outras cinco pessoas são indiciados pela PF na Lava Jato

A Policia Federal indiciou o ex-presidente, Lula, o ex-ministro da Fazenda, Antonio Palocci e mais cinco pessoas na operação Lava Jato. Após derrota do ministério Publico no caso Renan, que se manteve na direção do Senado, a Lava Jato avança sobre o PMDB e os principais “cabeças” do governo Temer, mas também sobre Lula. Acelera a crise política, como uma possível mudança constitucional para “eleições diretas”, tirando o Lula de cena.

Isabel Inês

São Paulo

terça-feira 13 de dezembro de 2016| Edição do dia

A Polícia Federal (PF) decidiu indiciar o ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, o ex-ministro da Fazenda, Antônio Palocci, a ex-primeira-dama Marisa Letícia e outras quatro pessoas, na Operação Lava Jato. Lula foi indiciado pelo crime de corrupção passiva, enquanto as outras 5 pessoas citadas foram indiciadas por lavagem de dinheiro.

Dentre os indiciados estão:

Luiz Inácio Lula da Silva - ex-presidente da República
Marisa Letícia Lula da Silva - ex-primeira-dama
Antônio Palocci Filho - ex-ministro nos governos Lula e Dilma
Glaucos da Costamarques - primo do pecuarista José Carlos Bumlai, já condenado na Lava Jato
Demerval de Souza Gusmão Filho - Dono da empresa DAG Construtora
Roberto Teixeira - Advogado do ex-presidente Lula
Branislav Kontic - Assessor do ex-ministro Palocci

O indiciamento aos petistas se trata de dois casos, um sobre a compra de um terreno, que seria usado para a construção de uma sede do Instituto Lula. O segundo é sobre o aluguel do apartamento que fica em frente ao que o ex-presidente mora. Segundo a Polícia Federal ambos casos tratam-se de pagamento de propina da construtora Odebrecht ao ex-presidente Lula.
Para o delegado Márcio Adriano Anselmo, produtor do indiciamento, foi necessário unir as duas investigações por se tratarem de fatos correlatos. O ex-ministro Antônio Palocci operava distribuindo a propina da Odebrecht ao Partido dos Trabalhadores (PT). Usando da sua influencia política para beneficiar a empreiteira.

Enquanto Lula se beneficiou da propina, que foi usada para compra do terreno que seria usado para a construção da sede do Instituto Lula. O apartamento teria sido comprado por Glaucos da Costamarques e alugado ao ex-presidente Lula, em um contrato no nome da ex-primeira-dama, Marisa Letícia. No entanto, de acordo com a investigação, nunca houve qualquer pagamento por parte do ex-presidente, que utiliza o imóvel, pelo menos, desde 2003. Para o delegado, o ex-presidente Lula é o dono do local, que também teria sido adquirido por meio de propina obtida junto à Odebrecht.

A defesa de Lula e Palocci negam o caso, contudo o que se abre com o indiciamento de ambos juntos aos três, é parte do jogo político realizado pela Lava Jato. Lula se mantém como primeiro colocado nas pesquisas de opinião, para presidente em 2018 no primeiro turno, o que poderia recuperar o PT como partido frente a crise política.

Contudo esta em aberto os rumos da crise pós delação da Odebrecht, com a citação de todo o governo Temer, e a possibilidade deste não conseguir terminar o mandato, abre-se o cenário de haver uma mudança constitucional para adiantar as eleições, e assim conseguirem um novo governo ajustador, que tenha o apoio das urnas. Ou o cenário de eleições indiretas, que poderia dificultar os ajustes na medida em que não há chancela das urnas, em meio a tantos questionamentos do regime político e judiciário.

Assim essa medida da polícia federal pode ser o ponto de apoio para impedir um ressurgimento do PT na eventualidade de novas eleições.




Tópicos relacionados

Política

Comentários

Comentar