Educação

GREVE DOS PROFESSORES RS

Leite quer dividir os professores individualizando os acordos de desconto

Após propor um acordo em que mantém o corte de ponto com descontos parcelados, Leite apresentou uma nova artimanha para atacar os grevistas: quer dividir a categoria oferecendo o acordo individualmente. Leite quer punir os grevistas para ameaçar todos os trabalhadores.

quinta-feira 9 de janeiro| Edição do dia

De acordo com informações do jornal Zero Hora, após a reunião entre o governo e o CPERS, Leite realizou outras reuniões privadas em que expôs sua estratégia para enfraquecer a categoria: está orientando as Coordenadorias Regionais de Educação (CREs) a oferecer de forma individual o esdrúxulo acordo que mantém o corte dos dias parados, oferecendo o pagamento em folha suplementar para descontar nos salários dos próximos 6 meses cerca de 20% do salário.

Leite já declarou que o corte de ponto é para dar o “exemplo” do que acontece com quem se atreve a lutar contra seus ataques. Insiste em tentar humilhar o magistério após 5 anos de perdas salariais, atrasos, parcelamentos e empréstimos com juros abusivos. O corte de ponto dos dias parados é uma medida autoritária de Leite para punir e constranger os grevistas que protagonizaram uma grande luta desde novembro.

Ou seja, Leite quer passar uma mensagem a todos os trabalhadores: de que serão punidos se tentarem impedir que a crise seja descarregada em suas costas. É preciso cercar o magistério de solidariedade.

A direção do CPERS e o Comando de Greve foram impotentes contra o corte de ponto, mesmo após o governo ter dado diversas declarações dizendo que cortariam o ponto, não disponibilizaram para a categoria o fundo de greve para que os professores pudessem continuar lutando sem perder seus salários. Chegou ao ponto de mesmo o próprio Leite dizer que o sindicato deveria usar o fundo de greve, não por compaixão à categoria, é claro, mas numa tentativa de conseguir impor seu absurdo corte de ponto. O comitê dos contratados já fez uma exigência pelo fundo de greve, é uma medida necessária para garantir a integridade dos educadores em luta.




Tópicos relacionados

Eduardo Leite   /    Greve Professores RS   /    Porto Alegre   /    Educação

Comentários

Comentar