×

PRIVATIZAÇÃO NO RS | Leite entrega setor estratégico de energia, CEEE-D, por valor equivalente a um carro

Na manhã desta quarta, 31, o governador do RS, Eduardo Leite (PSDB), bateu seu martelo na entrega da Companhia Estadual de Distribuição de Energia Elétrica (CEEE-D) pelo valor de R$ 100 mil, isso mesmo, R$ 100 mil para a empresa privada Equatorial Energia.

quarta-feira 31 de março | Edição do dia

Foto: Reprodução / Twitter

Na manhã desta quarta, 31, o governador do RS, Eduardo Leite (PSDB), deu mais um passo em seus planos privatistas ao entregar pelo valor de R$ 100 mil, equivalente a um automóvel SUV, o setor estratégico de distribuição de energia que abrange a capital Porto Alegre e outros 71 municípios.

O governador alega que o “valor simbólico” para privatizar a companhia se deve ao acúmulo de dívidas da empresa estatal. No entanto, o próprio governo está garantindo à Equatorial Energia (empresa privada que arrematou a estatal no leilão), o perdão de mais de 80% da dívida (R$ 2,8 bilhões de um total R$ 3,4 bilhões em impostos devidos), além de um generoso prazo de 15 anos para o pagamento do valor restante.

Veja também: Em vídeo, Eduardo Leite mostra como sua política não é tão diferente de Bolsonaro assim

Além disso, segundo informações do Valor Econômico, há um “grande potencial de reverter as contas negativas a partir de um ‘choque de gestão’”, o que para a população isso só significa uma coisa, tarifas mais mais caras em meio ao agravamento da pandemia, da fome e do desemprego.

E o governador Leite não esconde que pretende replicar esse exemplo da privatização da companhia estatal de energia também para outros setores estratégicos e essenciais para o conjunto da população, como a distribuição de gás e o saneamento básico. Com a preparação da entrega da distribuidora de gás Sulgás e da Companhia Rio Grandense de Saneamento (Corsan), Leite quer que fazer com que a população pague muito caro a conta das privatizações.

Pode te interessar:

É preciso enfrentar a barbárie sanitária no RS com a força da classe trabalhadora

“Centrão não é uma alternativa aos Militares, reformas ministeriais são para continuar os ataques.” diz Diana Assunção




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias