Política

Justiça de SP devolve valores pagos por Marisa Letícia no caso do Triplex

Decisão do TJ-SP é de que não houve evidências de que Marisa ou familiares teriam utilizado o apartamento do Guarujá.

sexta-feira 26 de março| Edição do dia

Imagem: Reprodução/Twitter

O Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo determinou nesta quinta-feira(25) que a construtora OAS e a Cooperativa Habitacional dos Bancários (Bancoop) restituam integralmente os valores pagos por Marisa Letícia, ex-primeira dama, na compra de um triplex no Guarujá.

Marisa, que faleceu em 2017, teria iniciado o processo de compra no ano de 2005, mas teria desistido da compra em 2015, devido a demora da entrega dos apartamentos pela cooperativa que o construiria.

Saiba mais: 5 anos depois, STF que foi pilar do golpe institucional diz que Moro é "parcial", enfim a hipocrisia.

Um ano após o falecimento de Marisa Letícia o apartamento estaria envolvido no imbróglio jurídico farsesco da Lava Jato, que o atribuiria como parte de uma troca de favores entre a OAS, construtora que assumiria a obra do apartamento em 2015 e Lula, para que houvesse favorecimento à empresa em obras da Petrobrás.

Lula seria condenado pela operação comandada por Sérgio Moro a 12 anos e 1 mês de prisão, em processo envolvendo o apartamento.

Na semana passada o ministro do STF, Edson Fachin, em decisão monocrática, que é quando um caso é julgado somente por um jurista, resolveu retirar todas as condenações de Lula, com o argumento de que o ex-presidente não poderia ser julgado por um tribunal de Curitiba e sim em Brasília, já que caso seria referente a Petrobrás.

Leia também: Nenhum juiz é imparcial no capitalismo, que todos sejam eleitos e ganhem como uma professora.




Tópicos relacionados

Caso Triplex   /    Prisão de Lula   /    Julgamento de Lula   /    "Partido Judiciário"   /    Lula   /    Política

Comentários

Comentar