Gênero e sexualidade

HOMOFOBIA

Jogadoras se solidarizam com Paulo Gustavo, contra fala que diz que ator foi para o inferno

Várias jogadoras de futebol feminino se solidarizaram com o falecido ator Paulo Gustavo, mais uma das vítimas do governo negacionista de Bolsonaro e também da demagogia dos seus opositores burgueses. Paulo Gustavo sofreu ataques homofóbicos, com futebolista chegando a dizer que o comediante "foi para o inferno", um comentário comum de ser reproduzido pela extrema-direita e bolsonaristas.

quarta-feira 12 de maio| Edição do dia

FOTO: INSTAGRAM/REPRODUÇÃO

Em postagem do Facebook que dizia que o vírus não escolhe raça, gênero ou idade, e que comparava a morte do pastor Lázaro "evangélico, cantor gospel e servo de Deus" com a de Paulo Gustavo "umbandista, ator e homossexual", ambos vítimas do vírus, a futebolista Chú Santos opinou na área de comentários do post, dizendo "Beleza, morreram pelo mesmo vírus, a diferença é: que um, Lázaro, foi para o céu e Paulo Gustavo, para o inferno".

Várias jogadoras de futebol feminino se manifestaram, criticando a fala da jogadora. A atacante Marta, jogadora do Orlando City, disse em rede social que "ninguém pode julgar quem vai para o céu o para o inferno". A atacante Cristiane, do Santos e da Seleção brasileira também opinou em rede social: "Em meio a tantas lutas, preconceito e piadas que nos fazem mal, temos uma atleta do nosso meio que sem o mínimo de respeito e amor ao próximo (que é isso que DEUS deseja a todos) vem com seu falso moralismo, julgando e atacando as pessoas". A lateral Tamiris, da Seleção, postou no Twitter uma frase de Paulo Gustavo: "Uma família pode ser dois pais, duas mães, um pai e uma avó, um tio e uma tia... O que existe é o amor". Outras jogadoras também se manifestaram contra a frase, inclusive jogadoras do Palmeiras, como foi o caso de Jully e Ary Borges.

Diante desta situação, a jogadora postou um vídeo no início da tarde deste último domingo(09/05) pedindo desculpas:

“Fala, galera. Aqui quem está falando é Chu Santos. Da mesma forma que eu tive peito de ir lá e comentar no Facebook, da Maria Padilha, eu também tenho peito, tenho cara, coragem, caráter de vir aqui me desculpar para vocês. Pode ter certeza que não vai mais acontecer. Foi uma forma, um impulso, que acabou gerando esse comentário. Quero pedir desculpa para todos vocês, se atingiu você de alguma forma, que não foi do agrado de vocês. E venho aqui pedir desculpa. E não somente desculpa, quero que vocês me perdoem. Grande beijo a todos. Fiquem com Deus.”

Veja mais: Deveria lavar a boca: Bolsonaro “lamenta” morte de Paulo Gustavo com provocação

Veja vídeo de Letícia Parks sobre Paulo Gustavo:




Tópicos relacionados

Paulo Gustavo   /    Conservadorismo   /    Extrema-direita   /    Homofobia e Transfobia   /    Futebol   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar