Política

AGRESSÃO POLICIAL

Impulsionada por Bolsonaro, polícia paulista mostra cara racista e fascistoide abertamente

Cenas escandalosas de um policial torturando uma mulher negra e pisando em seu pescoço foram divulgadas nesse domingo. Essa violência é a concretização do discurso de Bolsonaro, que defende a violência policial e racista.

Giovana P.

Coordenadora Geral do Centro Acadêmico do Teatro da UFRGS (CADi)

segunda-feira 13 de julho| Edição do dia

A violência policial contra o povo pobre e negro sempre foi uma realidade no sistema capitalista em que vivemos. Desde os governos do PT, vimos as UPPs serem instaladas nas favelas e altos investimentos à Polícia Federal, mas especialmente desde 2019, o primeiro ano de mandato do governo Bolsonaro, vemos um agravamento ainda mais escandaloso de violência policial. E não tinha como ser diferente, já que Bolsonaro é o maior defensor e incentivador da violência policial.

A política assassina de Bolsonaro está profundamente ligada com cada morte de negros e negras desse país. As mãos de Bolsonaro estão sujas do sangue de Marielle, João Pedro, João Vitor, Ágatha, Mestre Moa e tantos outros jovens negros. É ele quem hoje decreta, com sua política negacionista e lógica privatista, aos trabalhadores e à população negra a ter que decidir entre morrer de fome, morrer de COVID ou morrer pelas mãos da polícia assassina.

Assim como Dória afirma que a polícia “age corretamente” quando utiliza a violência, Bolsonaro assina embaixo e incentiva através de seus discursos que a polícia e o exército siga reprimindo e assassinando a população periférica. Não esqueceremos que enquanto os trabalhadores perdem seus empregos e têm seus salários diminuídos por conta das MPs do governo Bolsonaro, o alto escalão militar segue recebendo benefícios desse mesmo governo. Não à toa seu governo é repleto de militares, a começar pelo seu vice Mourão.

É por isso que o governo de Bolsonaro está diretamente ligado com mais um caso de violência policial que aconteceu na Zona Sul de São Paulo, onde um policial pisou no pescoço de uma mulher negra e depois a arrastou até a calçada. Cenas como essa, muito parecidas com a de George Floyd nos EUA, são aplaudidas abertamente por Trump e seu capacho Bolsonaro em nome da “segurança”. A única coisa que tanto Trump nos EUA como Bolsonaro no Brasil querem que tenha segurança é a propriedade privada e suas próprias cabeças, que estão na mira dos trabalhadores e da juventude que se revolta contra esse sistema racista.

A instituição policial é parte de garantir que não haja ataques à propriedade privada e por isso jamais estará a serviço de proteger a população pobre. Lutamos pelo fim da polícia e pelo Fora Bolsonaro e Mourão, para que seja imposta diretamente uma saída dada pela classe trabalhadora, a única capaz de responder aos interesses de toda população oprimida, sem confiar nem em Bolsonaro, no Congresso, no STF ou na polícia racista, confiamos apenas em nossas próprias forças.




Tópicos relacionados

Racismo Policial   /    Governo Bolsonaro   /    Repressão   /    Violência policial   /    Política

Comentários

Comentar