GOVERNO BOLSONARO

Guedes garantiu "alívio" para os patrões e prepara ataque ao FGTS e previdência do trabalhador

O governo Bolsonaro segue determinado a atacar os trabalhadores para garantir o lucro dos capitalistas. Paulo Guedes, ministro de Bolsonaro, avança para reduzir os encargos sobre a folha de pagamento, poupando patrões de pagarem nossos direitos.

quarta-feira 18 de setembro| Edição do dia

O governo Bolsonaro segue determinado a atacar os trabalhadores para garantir o lucro dos capitalistas. Paulo Guedes, ministro de Bolsonaro, avança para reduzir os encargos sobre a folha de pagamento.

Segundo ele, o governo tem um "enigma pela frente" porque precisa encontrar uma forma de atacar ainda mais os trabalhadores, desonerando empresas de suas responsabilidades e em sua fala avisou que irá garantir o alívio aos patrões. "Nós vamos atacar esse problema", garantiu em evento em Brasília.

"Precisamos de uma base tributária diferente, e queremos reduzir encargo trabalhista", afirmou Guedes.

Veja também: Governo Bolsonaro quer rasgar Constituição para congelar o salário mínimo

Depois de Bolsonaro sepultar a ’nova CPMF’, como vinha sendo chamado o imposto sobre transações financeiras que estava nos planos da equipe econômica para bancar a desoneração da folha, o ministro explicou que a ideia era "reduzir bastante as alíquotas" de contribuição sobre os salários. "Por isso estávamos considerando o novo imposto", disse.

Ou seja, na realidade, o que Bolsonaro e Guedes querem dizer é que irão atacar ainda mais os trabalhadores e seus direitos, aumentando ainda mais a precarização do trabalho e a retirada de direitos trabalhistas conquistados em base à muita luta dos trabalhadores.

A reforma da previdência, com já avisavam os analistas burgueses, é insuficiente para garantir que a crise capitalista seja paga pelos trabalhadores. Bolsonaro e Guedes seguem firme no propósito de garantir que o lucro dos capitalistas se mantenha cada vez maior, em contraposição a aplicar ataques nefastos à classe trabalhadora e juventude.

Saiba mais: Guedes diz que reforma da previdência passa no senado e quer "vender todas" as estatais

As centrais sindicais e as entidades estudantis, necessitam romper com o silêncio ensurdecedor contra esse governo que prepara um futuro de miséria, de desemprego, e se empregado, de trabalho precário até morrer sem se aposentar. É preciso unificar a juventude e a classe trabalhadora para combater o projeto de Bolso-Guedes e fazer com que os capitalistas arquem com sua própria crise.

Informações de agência estado




Tópicos relacionados

Paulo Guedes   /    Governo Bolsonaro   /    Crise capitalista   /    Jair Bolsonaro   /    Reforma da Previdência   /    Reforma Trabalhista

Comentários

Comentar