Mundo Operário

USP

Greve nacional da educação começa com trancaço de trabalhadores na USP

quarta-feira 15 de maio| Edição do dia

Centenas de trabalhadores e estudantes se reúnem desde a madrugada no portão principal da Universidade de São Paulo dando ínicio a paralisação nacional da educação contra os cortes e contra a reforma da previdência.

Os trabalhadores da USP em assembleia aprovaram um chamado aos estudantes para que juntos realizassem esta manifestação na principal entrada da mais prestigiosa universidade do país. Esta manifestação visa dialogar com a população mostrando os efeitos da sanguinária reforma da Previdência e dos cortes na educação. A luta contra esses dois ataques é uma só, e a manifestação mostra como os trabalhadores não aceitarão a chantagem que Bolsonaro está fazendo com a educação alegando que ela teria verbas se houvesse a reforma da previdência.
Os trabalhadores da USP dizem em alto e bom som que não aceitam qualquer reforma da previdência e não aceitam os cortes na educação.

Nesta manifestação também levantam alto a bandeira da defesa da universidade, não somente como ela é hoje mas para que esteja a serviço dos trabalhadores e da população, como porta-vozes deste programa mostram à população que os trabalhadores da USP defendem o fim do vestibular, para fazer a universidade servir não ao interesse dos capitalistas que lucram com a pesquisa mas à maioria da população.

De norte a sul do país universidades e escolas cruzam os braços neste dia, também ocorreram manifestações em várias cidades do país, acompanhe a cobertura do Esquerda Diário.




Comentários

Comentar