DIREITO AO ABORTO

Governo publica texto que marca a manutenção da ofensiva contra o direito ao aborto

O documento "Estratégia Federal de Desenvolvimento para o Brasil" publicado em decreto pelo governo na terça-feira, 27, afirma que o governo deve "promover o direito à vida, desde a concepção até a morte natural".

quarta-feira 28 de outubro| Edição do dia

Foto: Domingos Peixoto / Agência O Globo

Numa sinalização de que manterá sua ofensiva contra o aborto, o documento "Estratégia Federal de Desenvolvimento para o Brasil" publicado em decreto pelo governo na terça-feira, 27, traz, em seu "eixo social", a afirmação de que o governo deve "promover o direito à vida, desde a concepção até a morte natural, observando os direitos do nascituro, por meio de políticas de paternidade responsável, planejamento familiar e atenção às gestantes".

No Brasil, a interrupção da gravidez é autorizada por lei somente em casos de estupro, risco de vida para a gestante e de anencefalia, e mesmo neles há ataques da extrema direita religiosa que tenta impedir a realização dos procedimentos de aborto, como o caso da menina de 10 anos.

Pode te interessar: Candidatas revolucionárias do MRT na luta pelo direito ao aborto legal

A bandeira contra o aborto é puxada pela ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, que reiteradamente critica as possibilidades médicas de interrupção de gravidez, até as previstas em lei. Ou seja, um aberto ataque aos direitos das mulheres. Na semana passada, Brasil e EUA se uniram a uma aliança internacional, batizada de "Consenso de Genebra", antiaborto.

Veja mais: Notas sobre o ataque ao direito ao aborto no Brasil

Contém informações da Agência Estado




Tópicos relacionados

Damares Alves   /    Governo Bolsonaro   /    Legalização do Aborto   /    Aborto   /    Direito ao aborto

Comentários

Comentar