Mundo Operário

RIO DE JANEIRO

Governo do Estado usa o Choque para terminar a ocupação de servidores na Secretaria da Fazenda

sexta-feira 15 de abril de 2016| Edição do dia

Nesta madrugada, por volta das 3 horas da manhã, o Batalhão de Choque invadiu a ocupação da Secretaria de Fazenda, cercando os professores e servidores e obrigando-os a sair da ocupação contra a sua vontade, sem nenhuma proposta ou negociação por parte do Governo do Estado. A ocupação havia iniciado na tarde do dia anterior, reivindicando o pagamento dos servidores aposentados que recebem mais de 2 mil, com o #somostodosaposentados.

Durante a noite, a única proposta feita pelo Governo foi que se desocupasse, para só depois iniciar uma negociação no Palácio da Guanabara. O Governo não cedeu em absolutamente nada e esperava que os servidores aceitassem de bom grado desocupar enquanto são 137 mil pensionistas e aposentados que prestaram serviço toda sua vida para o povo deste estado e agora estão sem receber seus salários. Da parte do Governo não houve nenhum aceno de que atenderia qualquer parte das reivindicações, para os servidores que estão em greve há mais de um mês e já participaram de quase uma dezena de rodadas de “negociação”, aonde na realidade o Governo apenas diz não ter como ceder em nada, isto significa não querer negociar, não cedendo em nada. Não bastando isso, o Governo ainda mobilizou o braço do estado para desmontar a ocupação na base da intimidação.

O uso do Choque, que entrou na ocupação cercando os professores e obrigando-os a sair sem possibilidade de resistência, enquanto são 137 mil pensionistas e aposentados sem salário e passando fome, mostra que Dornelles, o governador em posse que disse para a imprensa que não usaria a polícia contra as ocupações, é um mentiroso e um demagogo. O Governo do Estado não está disposto a negociar nada e ainda usa o braço armado para intimidar cerca de 50 servidores e professores que reivindicavam o mínimo elementar da constituição: receber pelo serviço prestado.

Enquanto o Governo não negocia com servidores, fazendo demagogia dizendo que não teria de onde tirar o dinheiro, segue pagando uma quantia monstruosa da dívida pública, 13% do orçamento do estado que vai para a União e para os bancos, esta dívida deve chegar à 3 trilhões este ano. Além disso, foram muitos bilhões de reais em isenções para as empresas no estado do rio, mas nessas quantias e na dívida pública, o Governo não está disposto a mexer, e este é o preço que pagam os pensionistas, aposentados, servidores, toda população que usa o SUS, as UPAs, as escolas e os serviços públicos.

A solução para a crise do estado exige medidas radicais como não pagamento da dívida, que todo político ganhe igual à uma professora e fim das isenções às empresas privadas, e esta ocupação foi uma medida de força dos servidores que mostra um setor disposto à colocar levar até o final este questionamento, há disposição nas categorias para romper com o rotineirismo e com a divisão entre as categorias, entre professores es estudantes ocupados, entre os estudantes universitários como os da UERJ que se manifestaram em um grande dia de atos nesta quarta feira, e as categorias de servidores do estado.




Tópicos relacionados

Rio de Janeiro   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar